Imagem de alunos do Colégio Pedo II no ônibus da EPT
Professor e alunos conheceram um dos veículos da Tarifa Zero de Maricá - Foto: Michel Monteiro

A experiência do transporte de Tarifa Zero realizada em Maricá vai virar trabalho acadêmico de alunos do tradicional Colégio Pedro II. O grupo visitou nesta terça-feira (17/01) a sede da Empresa Pública de Transportes (EPT), no Caxito, onde colheu dados e realizou entrevistas para seu projeto de iniciação científica, que tem como tema “Política Pública, Transporte e Cidadania – Ônibus Gratuito em Maricá”. O professor de Sociologia Marcelo da Silva Araújo, de 41 anos, e os alunos Eddie Felipe de Araújo (18 anos), Lucas Nascimento Moura (17) e Nathan Cunha da Silva (16) – todos moradores da cidade – estudam no campus da instituição no Barreto, em Niterói, e cursam o 2º ano do ensino médio.

Guiado pelo coordenador operacional da EPT, Igor Corrêa, o grupo conversou com diferentes setores da autarquia municipal e seus integrantes deixaram claro o interesse que o assunto despertou. “Tivemos uma verba para pesquisa e tivemos outras possibilidades aqui mesmo em Maricá, como a Moeda Social Mumbuca, mas o ‘Vermelhinho’ nos seduziu mais em razão de sua abrangência”, afirmou o professor, enquanto seus alunos mostravam conhecimento sobre o tema. “Os ônibus Tarifa Zero atendem a todas as classes, diferente da Mumbuca que é para uma faixa específica de renda, além de estar alinhado com a Constituição, que aponta que o transporte público é dever do estado”, ressaltou Lucas, que mora em Inoã.

Os estudantes e o professor foram recebidos pelo presidente da autarquia, Fabiano Filho, que traçou um histórico dos transporte público em Maricá. Respondendo às perguntas dos alunos, ele afirmou que, mais que uma política pública, os Vermelhinhos são parte de um ‘conceito de estado’, onde o governo permite que haja exploração dos serviços, mas garante o serviço mínimo que é sua obrigação.

Fabiano Filho mostrou-se satisfeito, mas não surpreso com a visitas dos alunos e com o interesse pelo projetos dos ônibus de tarifa zero. “Trata-se de uma mudança de paradigma e concepção muito grande em um setor dominado pela iniciativa privada, portanto é natural que desperte o interesse da classe acadêmica. Creio que haverá estudos ainda maiores sobre os Vermelhinhos”, projetou o presidente da EPT.

No término da visita, o grupo foi conhecer os ônibus que circulavam pela cidade desde dezembro de 2014. A frota está sendo submetida a uma revisão completa nas oficinas da autarquia.

Este conteúdo é protegido.

Deixe uma resposta