imagem de vacinação

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-RJ) confirmou na tarde desta quinta-feira (20/04) o primeiro caso de febre amarela de vetor silvestre no município. O paciente confirmado era o morador do bairro rural do Bananal (distrito de Ponta Negra) que faleceu na madrugada da quarta-feira (19/04) no Hospital Evandro Chagas, da Fiocruz, no Rio, para onde fora removido um dia antes. Amostras de sangue do paciente colhidas antes da remoção foram analisadas pela Fiocruz e pelo laboratório Lacen (estadual), que confirmaram o positivo para a doença. Com esse caso, o município passa a ser tratado pelas autoridades estaduais – responsáveis pela distribuição das vacinas – como prioritário, o que significa o envio das doses necessárias para a imunização da população. A Secretaria Municipal de Saúde já planeja a ampliação da vacinação para toda a cidade, o que deverá ser feito progressivamente em função da cobertura na área de bloqueio e do próprio recebimento de novos lotes.

Desde a quarta-feira (19/04) cerca de 5 mil pessoas receberam a imunização dentro da ação de bloqueio estabelecida pela Prefeitura nos bairros rurais do Espraiado, Bananal, Manoel Ribeiro, Marinelândia e Guaratiba. Nesta sexta-feira (21/04) e sábado (22/04), sete equipes volantes da Secretaria de Saúde de Maricá com enfermeiros, técnicos de enfermagem, guardas ambientais e pessoas que conhecem a região estarão percorrendo as áreas previstas no bloqueio para a chamada busca ativa. Ou seja, irão de casa em casa, sobretudo nos locais de difícil acesso, para vacinar todos os moradores.

Os postos de vacinação vinculados à ação contra a febre amarela não estarão abertos, devendo a imunização ser retomada normalmente na próxima segunda-feira (24/04). É importante ressaltar que a febre amarela silvestre é transmitida por um tipo de mosquito que vive em região de mata e que desde 1942 não se tem registro de qualquer caso da doença em área urbana. Paralelamente à ação dentro da cidade, o estado fará um reforço de imunização em áreas limítrofes a Maricá, seguindo o mesmo protocolo adotado nas outras regiões onde foram registrados casos confirmados.

Deixe uma resposta