Cacique Darcy Tupã recebeu os alunos e mostrou os hábitos e costumes indígenas - Foto: Daniel Luiz

Na última quarta-feira (19/04), em que o Brasil comemorou o Dia do Índio, cerca de 60 alunos das escolas municipais Barra de Zacarias (Barra) e João Pedro Machado (Manoel Ribeiro) – com idades entre 4 e 9 anos – fizeram uma visita à aldeia Tekoa Ka’ Aguy Ovy Porã (“Aldeia Mata Verde Bonita”, em guarani), em São José do Imbassaí, para conhecer um pouco da história da tribo e da tradição indígena.

Durante a visita, o cacique Darci Tupã tirou dúvidas dos pequenos, que só conheciam os índios através dos livros de história. Entre os questionamentos mais comuns: se os índios usavam a lança e o arco e flecha para matar; de que eram feitas suas casas, o que eles comiam e se acreditavam em Deus.

“Eu faço o meu ritual. Acredito que o meu Deus é o mesmo que o seu Deus, criador disso tudo aqui que a gente vê ao nosso redor, criador do céu e da terra, mas eu não rezo para santo não”, disse Tupã, que também os ensinou a manejar o arco e flecha e fez pinturas nos pequenos a base de urucum e jenipapo.

Os alunos do 2º ano da Escola Municipal Barra de Zacarias gostaram de tudo que viram na tribo: “Eu gostei das coisas que eles fazem, das pescarias”, disse Sofia Lopes. Barbara Nunes Oliveira completou: “Gostei das tintas, das flechas, da tribo, dos negócios que eles fazem”, acrescentou. Mas ressaltaram alguns detalhes. “É um pouco diferente dos desenhos, porque tem que melhorar a pintura”, falou Carlos Daniel Nunes dos Santos.

Aos 8 anos, Wesley Nicolau e João Carlos César Barbosa falaram sobre as roupas e a língua. “As roupas deles são diferentes das histórias. Nas histórias são mais legais”, disse Wesley. João Carlos César Barbosa foi além: “Todos eles são muito legais e falam a nossa língua”. Para a diretora adjunta e professora Thamara Machado, resgatar a cultura, o que o índio é para o nosso município e ter eles por perto é importante por conta dos valores ensinados na unidade. “A nossa escola valoriza a diversidade cultural e pra gente valorizar aquilo que é nosso é muito importante. Como a escola teve essa oportunidade, a gente abraçou para que eles pudessem vivenciar um pouquinho da cultura indígena que a gente tem presente dentro do nosso município”, ressaltou.

Emocionado, o cacique falou sobre a importância da data para o seu povo. “Que dia marcante, que simboliza todo o sofrimento por onde o índio passa. Pra mim, simboliza coisa boa porque a aldeia de Maricá hoje está fazendo quatro anos de retorno à sua terra sagrada. Então, simboliza uma caminhada linda numa parceria linda com os moradores que nos receberam muito bem”, concluiu.

Deixe uma resposta