Secretários discutiram no CEU o plano diretor urbanístico da cidade - Foto: Clarildo Menezes

Integrantes do governo participaram nesta quinta-feira (20/04) de uma palestra sobre Plano Diretor Urbanístico e de Desenvolvimento Urbano realizada no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), na Mumbuca. Na mesa diretora estavam o secretário de Urbanismo e Meio Ambiente de Maricá, Adyr Motta Filho; o diretor da Câmara Metropolitana de Integração Governamental, Vicente Loureiro; e o diretor do Instituto Pereira Passos (ligado à Prefeitura do Rio), Carlos Krykhtine, que levou uma apresentação em slides mostrando planos diretores de diversas capitais, em especial o do Rio.

Vicente Loureiro disse ter constatado que Maricá é uma cidade ‘tipo americana’, com um planejamento urbano que privilegia o uso de veículos e que não facilita o acesso rápido dos cidadãos aos serviços. Segundo ele, é preciso que a cidade encontre um modelo que estabeleça uma relação com o seu território. “Um plano diretor é algo que define como se relacionam os sistemas de moradia e locomoção, e é essa identidade que o município precisa encontrar”, definiu o diretor.

Adyr Motta Filho afirmou que o perfil atual de Maricá é de cidade dormitório, mas que isso ainda pode mudar com os empreendimentos que estão a caminho. “Hoje, apenas 11% da população que trabalha em Maricá tem carteira assinada. O restante trabalha fora ou está na economia informal”, contou. “O falecido ex-prefeito de Niterói, João Sampaio, dizia que cidade dormitório é uma tendência, mas pode se tornar o destino de uma cidade se nada for feito. Temos aqui a perspectiva da chegada o porto em Jaconé, que promete ser a redenção de Maricá, mas que também trará impactos para a cidade, que deve estar preparada com um plano urbanístico eficiente”, avaliou o secretário de Urbanismo e Meio Ambiente.

O ex-secretário municipal de Urbanismo e atual titular da pasta do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Petróleo, Alan Novaes, defendeu que a cidade tenha um plano abrangente, que planeje a cidade para os próximos 20 anos. “O plano diretor deve abranger toda a gestão municipal em linhas gerais, com cada órgão dando seu direcionamento de acordo com a necessidade”, disse Alan.

Deixe uma resposta