Maricá adere ao programa Saúde Mais Perto de Você

0
769

A Prefeitura de Maricá deu mais um passo em seu compromisso constante pela melhoria das condições de saúde no município com a adesão, nesta terça-feira (29/11), em Brasília, ao programa “Saúde Mais Perto de Você”, do governo federal. O plano tem metas e padrões de qualidade na atenção básica de cada região.

No estado do Rio, outros 77 municípios aderiram e receberão também 20% a mais dos recursos específicos previstos para o financiamento do setor. Com isso, será possível duplicar o incentivo com a qualificação das equipes e dos serviços oferecidos. Cerca de 77% dos municípios do país aderiram ao programa.  

Em todo o país, 17.669 equipes de atenção básica vão receber o componente de qualidade. Isso representa um adicional mensal de R$ 1.700 por grupo de imediato, podendo, segundo o Ministério da Saúde, chegar a R$ 8.500.

“Os recursos ampliam significativamente o financiamento, com ações que avançam para assegurar equipes mais incentivadas e preparadas”, disse o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. “Nosso maior desafio é o de melhorar a saúde em Marica”, completou o prefeito Washington Quaquá, presente à cerimônia. “O ministro Padilha tem nos dado todo apoio para investir em atenção básica, reformando os postos de atendimento, implantando academias de ginástica, qualificando e estimulando as equipes. Com essa ajuda, estamos mudando o panorama da saúde em Maricá”, acrescentou.

O cidadão também poderá acompanhar a qualidade dos serviços pela internet. As avaliações postadas no hot site do programa, dentro da página do ministério, servirão de critério para avaliação das equipes. Em cada unidade, placas informarão a carteira de serviços, horários de funcionamento, nome e escala dos profissionais, e, quando houver, as metas de qualidade pré-determinadas.

A partir de março, todas serão visitadas por avaliadores. O conceito será completado por entrevistas a 170 mil usuários em casa (no total do programa). Serão avaliados indicadores como: tempo de espera, cobertura de hipertensos e diabéticos; padrões de acesso e qualidade ao pré-natal; avaliação do uso e da satisfação dos usuários e acompanhamento das condicionantes do Bolsa Família.

Todo o processo terá envolvimento de gestores federais, estaduais e municipais. Na ação serão investidos R$ 821 milhões até dezembro de 2012 e a previsão do Ministério da Saúde é aplicar, até 2014 R$ 4 bilhões a mais no orçamento da Atenção Básica.