Reforma de escola no Zacarias abre novo capítulo da história da Educação em Maricá

0
1346
Alunos na escola que foi completamente reformada.

A Escola Municipal Barra de Zacarias, ao abrir oficialmente as suas portas nessa segunda-feira (11/6), inaugura um novo capítulo na história da educação em Maricá, após cerca de um ano de obras que transformaram um antigo e degradado espaço numa unidade de ensino de tempo integral.

Daí a declaração da diretora Claudia Cardoso: “A escola que existia, acabou. Para mim é uma inauguração.” Já a secretária Marta Quinan disse que “a Barra de Zacarias é a prova de que somos um governo de verdade”. Emocionada, agradeceu a todos os envolvidos, pela paciência de conviver com as obras.

No antigo prédio, eram apenas cinco salas adaptadas conforme as necessidades. O novo prédio conta com nove salas de aula, salas de professores, de orientação pedagógica, de orientação educacional, além de refeitório e outras dependências, como um espaço dotado de multirrecursos para estudantes que apresentem dificuldades de adaptação à metodologia e uma sala de repouso, onde alunos doentes do Maternal II poderão receber cuidados especiais.

Poesia e canto

Na abertura da cerimônia, o coral Alegria de Viver, da Casa da 1ª à 3ª Idade, apresentou alguns números do seu repertório, seguido pela leitura de poemas pelas alunas Bianca Pereira da Silva, Brenda Bravo e o aluno Aguinaldo Domício Marins Ferreira. Um dos textos, do também aluno Lucas Arlesson da Silva, de 12 anos, que escreve poesia desde 2011, exaltava as belezas do lugar. “Me senti bem. Será que sou eu?”, declarou o poeta. A mãe, Adriana Fernandes da Silva, orgulhosa, comentou: “Se ele se sentiu bem, eu, melhor ainda. Nem sei o que dizer.”

Regenia Moura Marins, nascida e criada no bairro e filha de pescador, estudou na velha escola quando ela ainda era estadual e manifestou seu contentamento com o que viu: “Pra mim é uma felicidade isso que fizeram. Só vou ficar triste porque minha filha sai no final do ano.” Também Walcir Luiz da Costa, outra ex-aluna, elogiou a obra: “Para a gente que é mãe e trabalha, foi muito valioso um colégio assim. O ônibus pega de manhã na pracinha e deixa a criança à tarde”, explica Walcir, que tem dois filhos na escola, Luiz Felipe, de 7 anos, e Leonardo, de 3.