Maricá promove capacitação sobre Saúde do Trabalhador em Silva Jardim

0
1032
O pólo Maricá do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST), que compreende os municípios de Maricá, Itaboraí, Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim, promoveu ontem (09/08), das 14h às 17h, no auditório do Teatro Zezé Macedo, capacitação para 48 Agentes de Saúde, no município de Silva Jardim.

A palestra foi ministrada pelo biólogo e coordenador do Cerest-Maricá, Augusto José, e  contou com a participação da odontóloga Daniele Mattos Simões, assessora técnica do Cerest-Maricá. A capacitação teve como tema “Cuidando da Saúde dos Trabalhadores”, e abordou, entre outros tópicos, a importância dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) no desenvolvimento das ações em saúde do trabalhador; a importância das notificações de acidentes de trabalho; ações preventivas, vigilância e assistência em acidentes do trabalho; identificação dos processos produtivos e atividades produtivas domiciliares; e tipos de riscos que podem levar a acidentes de trabalho.  Acompanharam o encontro o secretário municipal de Saúde de Silva Jardim, Inácio Campos de Araújo, a superintendente de Atenção Básica, Érica Neves de Freitas ,e a coordenadora de Vigilância e Saúde, Josiane Ferreira.

Segundo o coordenador do Cerest-Maricá, Augusto José, alguns tipos de acidentes de trabalho, como os causados por exposição a material biológico, perda auditiva e lesões por esforço repetitivo (LER), deixam de ser notificados ao Ministério do Trabalho por omissão de empregadores ou desconhecimento ou displicência de empregados. “Outros itens, como acidentes do trabalho com crianças e adolescentes, são às vezes contornados de maneira informal entre as partes, pela carência material das famílias”, complementa.

Outro alerta dado durante a capacitação se refere aos acidentes no trajeto  de ida ou volta do trabalho, que segundo José Augusto, são indicados pela lei como acidentes de trabalho. “O estresse causado por ruído excessivo de uma máquina, a intoxicação de um produto em salão de beleza e a intoxicação causada por agrotóxicos a agricultores de uma cooperativa também são exemplos de acidentes de trabalho e devem ser reparados clínica e legalmente pelos empregadores", destacou o biólogo. O primeiro passo é notificar o acidente, para investigação do Cerest e da Vigilância Sanitária. Depois, os processos são encaminhados aos órgãos de fiscalização municipais, e até estaduais e federais, dependendo do caso.

A Agente Comunitária de Saúde, Rosiane Coimbra de Freitas, de 49 anos, participou do treinamento e declarou que " a capacitação permitiu tirar dúvidas e buscar soluções para situações enfrentadas no dia a dia”.

De acordo com o secretário de Saúde de Silva Jardim, Inácio Campos, “os municípios da região estão investindo cada vez mais na Saúde". Ele explicou que "com este ciclo de capacitação, que continua no próximo dia 23, os agentes de saúde estarão aptos a realizar notificações com base na lei e informar corretamente as autoridades, para as devidas providências, além de repassar o quantitativo para estatísticas que contribuem para a formação de estratégias e políticas públicas do setor”.