CRAS forma primeira turma de alunos com festa em Inoã

0
867

O Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Inoã encerrou ontem (24/09), as atividades da primeira turma de oficinas do programa. O evento aconteceu na Associação de Moradores de Inoã (AMI), com entrega de certificados e uma festa organizada pelos alunos e oficineiros. A secretária municipal de Assistência Social e Participação Popular, Laura Maria Vieira da Costa, a coordenadora do CRAS Inoã, Micheli Carvalho, a presidente da AMI, Celencina Opilar, coordenadoras das oficinas, oficineiros, alunos e convidados participaram do encontro.

De junho a setembro, foram ministrados os cursos de Corte de Cabelo, Manicure, Desenho, Pintura em Tecido, Tricô e Crochê e Biscuit, com uma média de 20 alunos em cada um. Muitos deles fecharam o curso já pondo em prática o que aprenderam, agregando renda ao orçamento doméstico. É o caso de Sueli da Costa Souza, 44 anos, casada, dois filhos, moradora de Santa Paula. Mesmo com os afazeres domésticos, Sueli agora encontra “um tempinho”, para produzir panos de prato e toalhas bordadas, que vende a parentes e vizinhos. “Isso ajuda nas despesas do mês”, disse.  Quem também atua em um ofício é Laudelise da Silva, 42 anos, casada, dois filhos e moradora de Inoã.  Funcionária pública, nas horas de folga e finais  de semana faz cortes de cabelo, curso do qual participou. “Comecei praticando em meus filhos, mas quero me profissionalizar. O tempo é pouco, mas pretendo fazer outros cursos na área”, declarou.

Professoras

Para as oficineiras Silvana Monteiro (Biscuit) e Elizabeth Oliveira (Tricô e Crochê), bem como as professoras dos demais cursos, o resultado foi ótimo. “Tivemos dificuldades, claro, mas os alunos demonstraram interesse e empenho em aprender as técnicas, e é isso que conta, que gratifica”, avaliou Silvana. “Em outubro, novas turmas vão começar os cursos. Esperamos continuar contribuindo com a comunidade”, completou Elizabeth.

A coordenadora do CRAS Inoã, Micheli Carvalho, agradeceu a presença de todos e elogiou sua equipe. “Sem o apoio da Secretaria e da AMI, que cedeu espaço para as oficinas, não teríamos conseguido. Ninguém faz nada sozinho”, enfatizou. A presidente da AMI, Celencina Opilar, adiantou que a associação está de portas abertas para atividades em prol da comunidade. “Programas de qualificação como esse elevam a autoestima e capacitam para o trabalho”, declarou.

A secretária de Assistência Social, Laura Maria, entusiasmou-se com o que viu. “É isso que pretendemos, qualificar a população para ter mais autonomia e viver de forma digna. Maricá está crescendo e tem de se preparar para programas do porte do Comperj, do Complexo Portuário e do Complexo Turístico, que estão chegando. Mesmo para donas de casa, é importante ter uma profissão ou habilidades”, afirmou. “Como dizia meu avô, conhecimento não ocupa espaço, e a gente deve estar sempre aprendendo e se ocupando. Com estes saberes, muitos deles resgatados da vocação da comunidade, queremos preparar as famílias para esses novos tempos”, disse.