Oficinas do CRAS-Centro formaram 110 alunos

0
908

Cento e dez alunos de 11 cursos ministrados pelo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS),  receberam nesta quarta-feira (26.09), o certificado das oficinas realizadas de julho a setembro, na instituição. Oficineiros, alunos e coordenadores organizaram a festa de encerramento, que contou com a presença da secretária municipal de Assistência Social, Laura Maria Vieira da Costa, da subsecretária Nancy Soeiro, da coordenadora do CRAS-Centro, Vera Serafim e equipe, e convidados.

O evento foi apresentado pela coordenadora Vera Serafim, que agradeceu a presença de todos. O Núcleo de Atendimento, Interatividade e Reabilitação(Nair), foi  representado pela  diretora Jacy Dorothéa e alunos. Trabalhos foram exibidos em estandes pelos alunos das diversas turmas, que vestiram camisas de cores diferenciadas. As oficinas ministradas foram as de Jardinagem e Paisagismo, Panificação, Reaproveitamento de Alimentos, Reciclagem de Materiais, Corte de Cabelo, Manicure, Tricô e Crochê, Pintura em Tecido, MDF, Telhas e Biscuit.

Emoção em alta

Os alunos falaram sobre a importância dos cursos e do resultado que o aprendizado produziu em suas vidas. Silvana Rosa Estrella, 47 anos, casada, três filhas, deu um depoimento emocionado, agradecendo a oportunidade de ter concluído o curso de Manicure, ministrado pela professora Nair Elisa. “Estava sofrendo com um câncer de laringe, com vários pólipos na garganta. Além de uma cirurgia bem sucedida, participar deste curso me deu vida nova. Já estou utilizando o que aprendi com minha vizinhança”, declarou.

Rosane Barrios de Oliveira, 42 anos, casada, adiantou que o curso de Manicure que fez, junto com a amiga Silvânia, está ajudando na renda da família. “Graças a meu Deus, e ao curso que fiz, minha situação melhorou. Estava desempregada e resolvi fazer. Agora estou praticando e ganhando um dinheirinho que ajuda no orçamento doméstico”, destacou.

O professor do curso de Panificação, Nelson Ziegler, informou que é padeiro profissional desde 1999. Sua aluna, Marilene Medeiros, 43 anos, casada, mãe de dois filhos, moradora em Itapeba, avisou que não vai mais comprar pães: “o pão doméstico é mais econômico e gostoso”, enfatizou. A professora de Reaproveitamento de Alimentos, Rosa Guzzon, contribuiu para o farto lanche da formatura, com salgadinhos macrobióticos e refrigerantes orgânicos: “são mais saudáveis”, garantiu.