Maricá: soluções ecológicas até na urbanização de ruas

0
2065
Grelha ecológica de galeria pluvial foi instalada na Rua Rio de Janeiro, no bairro Ubatiba

Prefeitura instala grelhas de galerias pluviais feitas com material reciclado

A preocupação da Prefeitura com o ambiente se estende a todas as áreas. A gestão municipal fez uma licitação em abril deste ano para trocar as tradicionais grelhas de ferro das galerias pluviais por outras feitas de material reciclado. O motivo da substituição é tanto acabar com o prejuízo de R$ 9 mil por mês, decorrente do furto das peças de ferro, quanto implementar mais uma solução sustentável, a exemplo do que foi feito com a virtualização dos processos de forma a economizar o uso de papel.

Em julho, a secretaria municipal de Obras comprou 500 peças feitas de madeira plástica a partir de frascos de material de limpeza e engradados de bebidas. A iniciativa representa o início de uma solução prática para evitar o furto, já que as de plástico não possuem valor de revenda, e de uma mudança de padrão na gestão pública na cidade, com a valorização de ações sustentáveis.

As grelhas de ralo para escoamento de água, produzidas com plástico reciclado (madeira plástica feita a partir de frascos de amaciante, shampoo, água sanitária e detergente, entre outros), são bem parecidas com as de ferro. Cada peça mede 300x900mm e tem capacidade para suportar até 25 toneladas(mesma resistência das peças convencionais), o que corresponde ao peso de um caminhão carregado.

Os novos equipamentos começaram a ser colocados no fim de agosto, inicialmente nas ruas onde havia mais ocorrências de furto das peças de ferro e naquelas que estão sendo urbanizadas pela prefeitura. Cada grelha custou ao município R$ 347 – R$ 40 mais barato que o preço de mercado. Foram investidos, ao todo, R$ 173,5 mil na aquisição do novo material.

Até agora, foram instaladas 66 unidades em ruas do Bananal, Raphaville, Marquês, Cordeirinho, Caxito, Ponta Negra, Centro, Saco das Flores e Ubatiba. As outras 434 grelhas ecológicas já compradas estão guardadas na Usina de Asfalto, no bairro Caxito, e serão colocadas na medida em que novas vias forem pavimentadas e em substituição as que forem furtadas ou danificadas.

"O novo equipamento apresenta maior durabilidade por não ser produzido com material corrosível e não precisa de manutenção, além de ser um produto ecologicamente correto”, destaca o superintendente da secretaria de Obras, Stephan Bragatto. Outra vantagem é que as grelhas de madeira plástica não tem valor para uma nova reciclagem. “Isso torna o furto economicamente inviável. Em média, uma grelha de ferro é roubada por dia no município”, acrescenta.

Entenda do que são feitas as grelhas ecológicas

O ponto de partida para a produção de madeira plástica é o Polietileno de Alta Densidade (PAD). São utilizados diversos recipientes recolhidos do lixo como materiais de limpeza (detergente, amaciante, água sanitária e shampoo), engradados de bebidas e frascos de óleo de carro. Os produtos são triturados e transformados em grãos.

O plástico moído é misturado a um produto químico, que dá a essa massa a aparência de madeira. Depois, o produto é aquecido a 180 graus e, em seguida, resfriado rapidamente em água gelada (cerca de 10º C) para condensar. A madeira plástica é resistente ao sol e ao frio e tem vida útil longa: dura em média 50 anos. Além disso, as grelhas de plástico reciclado são 30% mais leves que as feitas de ferro fundido.