Dois contêineres darão suporte à Defesa Civil e aos Bombeiros na orla de Maricá

0
1031
Bases fixas darão mais conforto e segurança para agentes e moradores durante verão na orla da cidade.
Uma reunião realizada na manhã de hoje (29/11), na sede da Defesa Civil municipal, definiu os detalhes da parceria entre o órgão e o Governo do Estado, por meio do 4º Grupamento Marítimo (G-Mar) de Itaipu, para a instalação de duas bases de apoio operacional durante este verão na orla da cidade.

Dois contêineres serão usados para dar suporte ao trabalho dos agentes da Defesa Civil e dos Bombeiros em ações como o socorro a vítimas de afogamento. As estruturas ficarão na Praia de Itaipuaçu (na altura da Rua Um) e em uma das laterais do canal de Ponta Negra. Participaram do encontro desta quinta-feira o vice-prefeito eleito Marcos Ribeiro; o subsecretário municipal de Defesa Civil, coronel Jorge Braga; o secretário municipal de Obras, Fernando Rodovalho; o major do 4º G-MAR, Pablo Isaac, o coronel Belchior do Corpo de Bombeiros e o coordenador municipal da Defesa Civil, Fábio Moraleida, entre outros.

Segundo Jorge Braga, os contêineres trarão mais conforto e segurança para os agentes e para a população. “Os funcionários terão um local adequado para guardar instrumentos de trabalho, como pranchas e outros itens de salvamento, e os moradores e turistas terão um ponto fixo de referência para procurar as autoridades em caso de emergência”, explicou o coronel.

Ao menos 45 homens da prefeitura atuarão na orla de Maricá durante o verão, além do efetivo dos Bombeiros, segundo a Defesa Civil. O subsecretário informou ainda que está prevista a contratação, até o fim do ano, de 30 agentes temporários. “Pretendemos ampliar o quadro, como foi feito no ano passado e, depois disso, definir exatamente quantos homens ficarão nos contêineres”, afirmou.

Cada contêiner contará com banheiro e cozinha, além da estrutura administrativa. A prefeitura fará amanhã, a partir das 8h, uma visita aos locais escolhidos para iniciar o trabalho de contrapartida municipal – que inclui rede de esgotamento sanitário e abastecimento de água e energia elétrica. O Estado arcará com as despesas de transporte e instalação dos contêineres, além dos equipamentos internos.