Prefeito e empresários italianos se reúnem em Maricá

0
2576
O cônsul Pannaro e o prefeito Washington Quaquá

Mais uma missão empresarial italiana, a terceira em menos de um mês, desembarca em Maricá. Liderado pelo cônsul italiano no Rio, Mario Pannaro, o grupo foi recebido nesta sexta-feira (07/12), no Paço Municipal, pelo prefeito Washington Quaquá e pelo secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Lourival Casula. Como nas ocasiões anteriores, o objetivo dos empresários era o de avaliar áreas e pontos de interesse para eventuais investimentos no momento em que o mercado europeu apresenta poucas oportunidades e risco elevado. Pannaro fez questão de deixar claro que o interesse de seu país pela cidade é real. "O Brasil precisa da Itália em termos de tecnologia e a Itália precisa do Brasil para aportar o que for necessário", destacou.

Além do cônsul, que estava acompanhado pelo deputado italiano Maurizio del Tenno, participaram da missão empresários ligados à área de investimentos imobiliários, de segurança e de projetos náuticos – como a projetista Alice Paiotti, cujo escritório de arquitetura é responsável, entre outros projetos de vulto, pela nova marina de Shangai, na China. Alicia ficou impressionada com o potencial náutico de Maricá ao observar o complexo lagunar e a própria disposição geográfica das lagoas em relação ao mar. "Superou muito as minhas expectativas", afirmou, enquanto fotografava a lagoa de Ponta Negra do alto do farol.

Alice mostrou dois esboços do que imagine poder oferecer como a futura marina de Ponta Negra. As simulações preveem ou uma estrutura flutuante em forma de hélice, ou em outra versão, um formato helicoidal. Em ambos os casos a proposta engloba a construção também de um hotel com 250 quartos e de edifícios comerciais. “Nossa ideia ao pensar em uma marina aqui é a de fazer de Maricá a Miami brasileira, aproveitando os canais e trazendo toda a indústria ligada à atividade náutica para essa região”, explicou o prefeito, que saudou os visitantes destacando o excepcional momento que Maricá atravessa como um atraente polo de oportunidades. "Maricá os recebe com carinho e entusiasmo pelo interesse em conhecer melhor o município e as oportunidades que aqui não faltam. Afinal, brincou, "o papa fica na Itália, mas Deus é brasileiro”.

O grupo assistiu a uma apresentação em vídeo sobre Maricá e depois os empresários foram levados pelo prefeito, acompanhado pelo vereador eleito Fabiano Horta e pelo secretário, para conhecerem eventuais pontos de interesse. A primeira parada foi no aeródromo municipal, que em 2013, a prefeitura planeja licitar em regime de concessão remunerada. Depois, as visitas foram a áreas de Ponta Negra e do Espraiado. A parada no aeroporto não foi à toa: entre os italianos estava Francesco Moliterni – vice-presidente da Selex, gigante da área de defesa ligada ao grupo Finmecanica e voltada para construção e operação de equipamentos de controle e segurança aeroportuária. A Selex fatura 765 milhões de euros por ano, tem uma carteira de contratos de 1,6 bilhão de euros e emprega 4.400 pessoas em todo o mundo. "Estamos interessados em participar" disse Moliterni ao prefeito.

Visitas anteriores

O interesse italiano por investimentos em Maricá já havia ficado claro em ocasiões anteriores. Há um mês, uma missão da associação de construtores civis de Roma (Acer, entidade que reúne três mil empresas do setor) havia sobrevoado a cidade. Depois o município recebeu a visita de empresários da área de energia e saneamento, com propostas de construção de uma usina de queima de lixo. Além disso, o prefeito Washington Quaquá participou, na semana passada, de uma conferência para 80 dos maiores empresários da Itália em Roma. Na terceira visita, novo convite foi feito pelo cônsul Mario Pannaro para que o prefeito retorne a Roma e faça outra conferência para parlamentares.