Teatro do Oprimido realiza balanço de oficinas em Maricá

0
490

O Centro de Teatro do Oprimido – CTO – realiza nesta terça-feira (11/12), às 14h, no C.E.M. Joana Benedicta Rangel, o balanço comemorativo das oficinas promovidas durante cerca de três meses em Maricá. O trabalho contou com a parceria da Prefeitura Municipal de Maricá. Do evento farão parte a exposição Estética do Oprimido "Maricá dos Sonhos” e a apresentação da Cena de Teatro Fórum “O Casamento”.

A exposição “Maricá dos Sonhos” é o tema escolhido entre vários propostos durante as oficinas promovidas pelo Teatro do Oprimido no município. Com base nele será apresentado ao público o processo de trabalho teatral do CTO com a comunidade. Este consta de três etapas: apresentação de um tema, visualização do problema por meio de som e imagem e a interpretação (introjeção) do problema, para descoberta coletiva de sua devida solução. A Cena de Teatro Fórum apresentará um desses temas, intitulado “O Casamento”, com interação da plateia para escolha do final do espetáculo, que é a solução do problema.

O Teatro do Oprimido

O Teatro do Oprimido foi criado pelo dramaturgo Augusto Boal, falecido em 2009, e tem por base a pedagogia do pernambucano Paulo Freire, que trabalha a construção do conhecimento por meio dos recursos materiais e culturais das comunidades envolvidas. O Centro do Teatro do Oprimido trabalhou em diversos locais e comunidades de Maricá, como o Centro de Atenção Psicosocial (CAPS), a Casa da 1ª à 3ª Idade, Associação de Moradores de Inoã, o C.E. Elisiário Matta, e o C.E.M. Joana Benedicta Rangel, formando multiplicadores da ideologia do grupo. Atualmente, o trabalho do CTO atinge 80 países, e a maioria dos estados brasileiros, com a proposta de informação cultural e conscientização política das minorias.