Maricá reforça presença de médicos nas unidades básicas de Saúde

0
1318

Cidade foi beneficiada por programa do governo federal com 11 novos profissionais

A partir desta semana, 11 novos médicos passam a reforçar as equipes dos postos de saúde em Maricá. Os profissionais foram contratados pelo Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab 2013), do Governo Federal, e cumprirão uma carga horária de 32 horas semanais de atendimento à população.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Janete Valladão, a prefeitura se cadastrou no Ministério da Saúde e foi escolhida para receber os médicos. “Esse programa colabora para garantirmos a presença do médico na atenção básica, que é primordial para prevenção de doenças”, frisou Janete, acrescentando que os profissionais são clínicos e irão trabalhar nos postos do Programa de Saúde da Família (PSF). “Eles farão visitas domiciliares para acompanhar de perto os casos de doenças nos bairros”, completou.

Os médicos vão atuar nos postos do Recanto e Jardim Atlântico (Itaipuaçu), Ponta Grossa, Inoã, Mumbuca, Espraiado, São José do Imbassaí, Guaratiba, Bairro da Amizade e Ubatiba. Ao todo, o município tem 22 postos de saúde, sendo 16 unidades do PSF.

Um dos novos profissionais é a baiana Lorena Xavier Moraes Pereira, de 24 anos. Ela veio de Salvador para trabalhar no PSF de Maricá. “Escolhi a cidade pela oportunidade de conhecer uma nova realidade e pelo aperfeiçoamento na área de atenção básica. Já fiz plantões em emergências de hospitais na Bahia e agora vou fazer o atendimento de prevenção”, destacou.

Moradora do bairro Flamengo, em Maricá, Clarissa Monteiro da Silva, de 31 anos, também integra a equipe e está feliz com a oportunidade de trabalhar na cidade. “Fiz a inscrição no Provab porque gosto de trabalhar em ambulatório e poderei ampliar o conhecimento na área”, declara ela, que vai fazer especialização em Dermatologia.

A atuação dos profissionais está condicionada à participação deles num curso de pós-graduação semipresencial com oito horas de duração por semana. Pelo cumprimento da carga horária prática (o trabalho nos postos) e teórica (no curso preparado pelo Ministério da Saúde), o trabalhador-estudante recebe uma bolsa custeada pelo Governo federal no valor de R$ 8 mil mensais. O contrato tem validade de um ano e pode ser renovado ao final do prazo.

Ainda segundo a secretária municipal de Saúde de Maricá, gestores municipais serão responsáveis por acompanhar os profissionais durante sua atuação. Os participantes que forem melhor avaliados receberão pontuação adicional de 10 pontos em provas para ingresso em programas de residência médica no país.