Prefeitura de Maricá capacita docentes para educação inclusiva de alunos surdos

0
1038
Os fiéis acompanharam a imagem da santa com cânticos de fé.

Cinquenta profissionais participam atualmente do curso gratuito de Libras oferecido pela secretaria municipal de Educação
 
Com a prioridade de preparar o ambiente escolar para receber alunos portadores de necessidades especiais, a secretaria de Educação de Maricá oferece gratuitamente aos profissionais da rede municipal de ensino capacitação em curso de libras (língua brasileira de sinais), considerada a língua materna dos surdos, para contribuir com a melhora da comunicação entre os estudantes e a comunidade escolar.

Com duração de dois anos, o curso foi iniciado no último mês e é oferecido na Casa Digital para duas turmas de, aproximadamente, 25 alunos cada, às terças e quintas-feiras. A professora de Libras da rede municipal, Tathiana Dawes, de 38 anos, responsável pelo curso, explica a importância dessa iniciativa para contribuir com o aprendizado do aluno surdo. “Nosso objetivo é buscar a inclusão do aluno não somente na rotina escolar, mas também permitir sua melhor integração e independência com a sociedade que o cerca”, explica a professora, que, desde os cinco meses de idade, foi diagnosticada com um sério problema que compromete a sua audição.

– “Me recordo das dificuldades que enfrentei numa época na qual a exclusão era uma prática comum. Mas consegui frequentar regularmente a sala de aula, fui alfabetizada na idade certa e sempre participei de jogos e brincadeiras, o que contribuiu para o meu engrandecimento intelectual e emotivo”, destacou a professora.

Curso de Libras
Dividido em quatro livros, o conteúdo das aulas aborda o vocabulário e a gramática da língua dos surdos. Outra questão destacada durante a capacitação é a importância da expressão corporal e facial para efetivar o processo de comunicação.

Ana Angélica Brito Silva, orientadora educacional há mais de 10 anos da Escola Municipal Profª Ondina de Oliveira Coelho, não conhecia a língua dos sinais e queria interagir de forma mais dinâmica com um aluno surdo de sua escola. “Estou disposta a descobrir as ferramentas disponíveis que possam contribuir com o desenvolvimento intelectual do Gabriel”, destacou a orientadora. Sobre o curso, Ana considera excelente a oportunidade de aprender mais uma língua. “Pensei que fosse ter grandes dificuldades, mas é maravilhoso poder me articular e me comunicar pelas mãos”, ressaltou.

A educadora ambiental Mariana Caruso também está muito satisfeita com o curso. “Já consigo me comunicar por meio de gestos e também identificar quem é ouvinte e quem não é”, destacou. Já a fonoaudióloga da rede municipal Heloisa Mullulo, que há três anos trabalha no Sarem (Serviço de Atendimento e Reabilitação Especial de Maricá), já possui curso de libras, mas está aproveitando para atualizar seus conhecimentos. “É uma maneira eficaz para enriquecer o meu vocabulário e treinar o gestual, o que permite melhorar a minha comunicação com os pacientes”, declarou a fonoaudióloga que, atualmente, presta atendimento para 18 surdos.

Com foco na inclusão de alunos portadores de necessidades na rede municipal de ensino, a secretária de Educação, Marta Quinan destacou algumas ações realizadas pela prefeitura. "O curso de Libras, assim como o de braile, por exemplo, é muito importante para a nossa população e uma conquista do governo Wasthington Quaquá. Como é algo novo em nossa rede, é necessário o envolvimento de todos. Nos preocupamos em adotar um modelo de educação inclusiva que atinja não só os alunos deficientes, mas também os professores e toda a comunidade. Somos hoje referência no Estado do Rio", declarou a secretária.