Casa de Cultura lança nesta quinta-feira nova exposição sobre história de Maricá

0
1657
Casa de Cultura lança nesta quinta-feira nova exposição sobre história de Maricá - Foto: Clarildo Menezes

Resgatando fatos históricos e curiosidades sobre Maricá, a prefeitura lança nesta quinta-feira, dia 20/06, a da exposição inédita “Das Simbólicas Sesmarias aos atuais Distritos de Maricá”. A abertura da exposição será às 17h, na Casa de Cultura (Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel). A exposição é fruto de uma parceria entre as secretarias municipais de Cultura e de Desenvolvimento Urbano, sob a curadoria da historiada Maria Penha de Andrade Silva e da arquiteta urbanista Renata Aymoré Araújo Gama.

A exposição surgiu das pesquisas para o Inventário do Patrimônio Histórico do Município de Maricá. De acordo com Maria da Penha, um dos objetivos é levar à população o conhecimento da formação administrativa do município. “Nossa história tem que ser valorizada e repassada para as novas gerações”, destacou a historiadora, que há mais de 30 anos pesquisa as origens da cidade.

Uma das curadoras da mostra, a arquiteta e urbanista Renata Gama, destaca que a cidade possui ampla riqueza tanto na área ambiental quanto histórica. “Muitos desconhecem a história de Maricá, suas curiosidades e infinitas belezas. E é isso que estamos resgatando, a identidade do povo maricaense”, frisou Renata, que consultou acervos do Mosteiro de São Bento, Arquivo Nacional, Biblioteca Nacional, Biblioteca da Ajuda (Lisboa) e da arqueóloga Nanci Vieira de Oliveira.

São 13 banners com fotos históricas, mapas e textos, que permitem ao visitante viajar no tempo e conhecer alguns dos momentos mais marcantes da história do município, como o mapa de 1574 da Baía de Guanabara arquivado na Biblioteca da Ajuda, em Lisboa, Portugal, que traz a primeira referência ao nome Maricá, citado com “Ylhas Maricaha ou de maricahaa”.

Outro fato marcante apresentado na exposição é o reconhecimento da Vila de Santa Maria de Maricá, por meio do alvará de 26 de maio de 1814. Segundo Renata Gama, o povoado era localizado no entorno da Fazenda de São Bento e era composto por 4.800 pessoas (em torno de 800 casas). Em reconhecimento ao crescimento do local, o príncipe regente da época reconheceu o espaço como vila, segundo documentos do acervo do Arquivo Nacional.
O público também terá acesso à evolução histórica dos distritos de Maricá, como a apresentação por meio de mapas da constituição por D João VI, em 1815, do distrito sede. Segundo Renata, a escolha dos locais-sede era definida de acordo com a importância do local naquele momento histórico. Em 1892, foi criado o 2º distrito, com sede em Ubatiba. Ao longo dos anos, a sede desse distrito passou por outros locais e atualmente é em Ponta Negra. Em 1926, foi criado o 3º distrito em Inoã e, em 1990, a lei orgânica municipal cria o 4º distrito com sede em Itaipuaçu.

Dentre outras curiosidades retratadas na exposição, conta-se que o índio tupinambá Inhampopoi tinha grande curiosidade em atravessar as águas avassaladoras do Boqueirão e que somente faria isso quando ouvisse o canto da ave Macaá, hoje extinta na região. Outro fato interessante é sobre a Pedra de Urubuqua, localizada no bairro Flamengo. Os tupinambás veneravam o espaço com rituais de dança no mês de abril por acreditarem que os espíritos do mal iriam para esta pedra em sinal de respeito.

A exposição “Das Simbólicas Sesmarias aos atuais Distritos de Maricá” ficará aberta para visitação até o dia 07 de julho, de segunda à sexta, das 9h às 17h, e às quartas-feiras, até às 21h.