Últimas vagas para o programa Minha Casa Minha Vida

0
6436
Em Itaipuaçu, estão em construção imóveis tipo sobrado. Ao todo, serão 1.472 apartamentos para familias com renda mensal de até R$ 1.600

Cadastro encerra dia 31 de julho e ainda estão disponíveis cerca de 600 vagas

O primeiro ciclo de inscrições para o programa habitacional Minha Casa Minha Vida em Maricá será encerrado no dia 31 de julho. Ainda estão disponíveis cerca de 600 vagas de aproximadamente três mil apartamentos em construção nos distritos de Inoã e Itaipuaçu. As unidades serão destinadas para a população com renda familiar mensal de até R$ 1.600. Apenas moradores de Maricá podem participar e terão prioridade famílias desabrigadas ou em áreas de risco.

As inscrições podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, na coordenadoria do programa (Rua Doutor Milton de Souza Pacheco, nº 24, lote 6, Quadra Q, no bairro Parque Eldorado / telefone: 3731-3317) ou nos postos de Inoã (Associação de Moradores, na Rua João Paulo da Costa), Itaipuaçu (Estrada de Itaipuaçu, s/nº) e Ponta Grossa (no posto de saúde da Rua Irineu Ferreira Pinto).

Antes de procurar um dos postos, no entanto, os interessados devem obrigatoriamente estar inscritos no Cadastro Único (CADÚNICO) do Governo Federal. Em Maricá, a inscrição é feita nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). O mais próximo da sede do Minha Casa Minha Vida é o CRAS Centro (Rua Domício da Gama, lote 18, quadra 03 / telefone: 3731-0353).

Além de zerar o déficit habitacional de Maricá com os cerca de três mil apartamentos do programa federal Minha Casa Minha Vida, a Coordenação do Programa também prepara um pacote de obras para transformar as futuras instalações num grande complexo de equipamentos públicos, que serão abertos a toda população. "Cada condomínio terá uma escola municipal de tempo integral, uma creche, um posto de atenção básica de saúde e um Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) – tudo integrado ao terreno dos empreendimentos habitacionais", informa a coordenadora Lene Oliveira. “Há um compromisso firmado entre prefeitura, Caixa Econômica e Governo Federal e os apartamentos só poderão ser entregues à população após a conclusão de todos os equipamentos públicos”, completa.

Cada unidade habitacional terá 46 metros quadrados, com dois quartos, sala, banheiro e cozinha agregada com área de serviço, além de adaptação para portadores de necessidades físicas, como por exemplo, portas de 80 centímetros.

Confira os documentos (originais e cópias) que deverão ser apresentados para o cadastro no Minha Casa Minha Vida:

– inscrição no Cadastro Único (CadÚnico) e Número de Inscrição Social (NIS) de cada um dos beneficiários;

– carteira de identidade;

– cartão do CPF;

– certidão de nascimento;

– comprovante de residência (conta de água, luz ou telefone);

– comprovante de estado civil;

– comprovante de renda (formal ou informal), somente para enquadramento no programa;

– Se for beneficiário do Bolsa Família ou do Beneficio de Prestação Continuada (BPC), apresentar os comprovantes de recebimento do último mês de cada um dos beneficiários;

– deficientes e portadores de necessidades especiais precisam apresentar atestado médico com indicação da Classificação Internacional de Doenças (CID).