Prefeitura e Sesi qualificam merendeiras para aproveitamento integral de alimentos

0
955
Merendeiras das escolas municipais de Maricá participam do curso oferecido pelo projeto Sesi Cozinha Brasil

Um grupo de aproximadamente 150 merendeiras da rede municipal de ensino de Maricá participou nesta terça-feira (23/07) do curso prático de aproveitamento integral dos alimentos, oferecido pelo projeto Sesi Cozinha Brasil, em parceria com a prefeitura. No curso, são ensinadas receitas de baixo custo e técnicas para o máximo aproveitamento dos nutrientes dos alimentos e redução do desperdício – com a utilização de cascas, talhos e sementes, por exemplo. A qualificação, realizada na Escola Municipal CAIC Elomir Silva, em São José do Imbassaí, prossegue nesta quarta-feira (24).

O curso, realizado pela terceira vez no município, também dá dicas de higiene para evitar contaminação e manter a cozinha limpa. Segundo a coordenadora nutricional da secretaria de Educação, Lourici Soares Bittencourt, na edição deste ano será entregue um livro com novas receitas, como um bolo feito com bagaço de abacaxi, suco de casca de beterraba com maracujá e bolo de chuchu. “O objetivo é enriquecer as merendas servidas nas escolas com o reaproveitamento integral dos alimentos”, destacou a coordenadora. Na segunda-feira (29/07) acontece o encerramento do curso com entrega dos certificados, um treinamento sobre segurança alimentar, oferecido pela empresa que fornece itens da merenda escolar, e uma confraternização entre os participantes.

Na primeira aula do curso, o cozinheiro Reginaldo Pereira de Lima, do Sesi, preparou duas receitas: um suco de casca de beterraba com maracujá e uma torta de verduras, feita com pão de forma, repolho, cebola, alho e tomate. “Na torta, a ideia é reaproveitar o pão dormido. Para o suco de beterraba a gente aproveita a casca e introduz polpa de maracujá e suco de limão para tirar o gosto de terra característico do legume”, explicou o cozinheiro. “Muitos nutrientes estão presentes em talos, bagaços e cascas, que geralmente são desperdiçados pelas pessoas”, completou.

A merendeira Dolores Rodrigues Machado, de 54 anos, da Escola Municipal Professora Dilza da Silva Sá Rego, em Jaconé, participa da qualificação pela segunda vez (fez o curso em 2012), anotou as novas dicas e disse que aprendeu a diminuir a quantidade de sal na comida, sem comprometer o sabor dos pratos que prepara. “O curso é muito bom porque a gente aprende a aproveitar todos os alimentos sem desperdícios. Fiz uma torta de legumes para os alunos da escola. Eles adoraram e até hoje não descobriram os segredos da receita”, contou Dolores.

O que é o Sesi-Cozinha Brasil?

Desenvolvido pelo Conselho Nacional do Sesi em parceria com o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome e apoio de empresas da iniciativa pública e privada, o programa tem como objetivo ensinar à população brasileira como se alimentar de forma nutritiva, barata e sem desperdício, transmitindo conhecimentos sobre educação e segurança alimentar.