Público lota Espraiado para apreciar "Festival do Guando"

0
751

“Espraiado de Portas Abertas” resgatou a história do grão

As muitas combinações gastronômicas derivadas do feijão-guando deram o tom – e o sabor – da última edição do “Espraiado de Portas Abertas”, realizado neste domingo (04/08), na localidade rural de Maricá. O evento turístico e cultural, realizado desde 2008 e que agora conta com edições bimestrais, homenageou desta vez o grão historicamente cultivado na localidade e ainda hoje encontrado em muitas plantações familiares.

Para celebrar o guando, foram servidos em diversos estabelecimentos locais pratos preparados com o feijão – não apenas pelos restaurantes que compõem o circuito, mas também na cantina da capela de São João Batista, a principal do bairro. Além disso, encenações reproduziram o ‘ritual’ de debulhação do guando. No mesmo local, a Secretaria de Ações para Idosos promoveu uma apresentação de dança cigana com o grupo da Casa da 1ª à 3ª Idade, projeto mantido pela secretaria.

“Essas reuniões para descascar o guando ocorriam sempre na casa de um dos produtores aqui do Espraiado e seguiam noite adentro. Eram grandes encontros sociais. Tinha lanche, cafezinho, contação de ‘causos’, adivinhação e até paquera. Muitos casamentos surgiram em ocasiões assim, entre homens e mulheres que debulhavam o guando lado a lado", conta Regina Sebould, que idealizou o evento e hoje atua como uma das participantes. "É importante ter esse resgate histórico e manter essa memória para os mais novos”, defende Regina. Em seu espaço, o Sítio do Riacho, foi encenada uma das representações do ritual secular. Outra montagem ocorreu na Escola Municipal Espraiado, onde alunos reproduziram o ato da debulhação enquanto contavam a história do guando.

“Minha mãe tem pé de guando em casa e eu sempre gostei muito. Viemos especialmente para saborear”, revelou a diagramadora Eliane Pierri, enquanto aguardava ansiosa por seu prato. Ela levou a mãe, a filha e amigos ao Espraiado. “Qualquer incentivo à cultura da cidade é sempre interessante”, afirmou Eliane, que teve o apoio de uma amiga que a acompanhava. “Acho tudo ótimo por que movimenta o local, e também porque eu adoro guando”, reforçou a vendedora Glaucea Dias.

O público foi um dos maiores já vistos nas últimas edições do “Espraiado de Portas Abertas”. O domingo ensolarado que atraiu muita gente à cachoeira, no fim da estrada de terra que sedia o circuito do evento, também contribuiu para que mais visitantes apreciassem os pratos típicos servidos ou levassem para casa o guando – vendido em grãos em várias barraquinhas.

O agricultor Ailton da Costa Araújo, de 58 anos, comemorou o sucesso das vendas. “Até às 13h, eu já tinha vendido 13 dos 17 saquinhos que eu preparei pra minha barraca“, comemorou.

“Público está aumentando”, avalia secretário

Pela primeira vez, o evento foi capitaneado pela Prefeitura de Maricá. E o balanço feito pelo secretário Amaury Vicente municipal de Turismo foi positivo. “Sempre apoiamos o Espraiado de Portas Abertas, mas desta vez toda a organização foi liderada pela secretaria. E a principal mostra do sucesso é o público, que lotou os restaurantes do bairro", afirmou. "A frequência só aumenta a cada edição e isso reflete a divulgação que vem sendo feita e a qualidade do evento, somada à beleza do Espraiado”, completou.

Outras secretarias municipais apoiaram o festival, entre elas a de Direitos Humanos e Cidadania e a de Trabalho, que montou um posto na E.M. Espraiado para cadastro de emprego e emissão de carteiras de trabalho. Houve ainda uma edição especial do projeto “Sob o Céu, Sob o Sol de Maricá”, com um palco montado ao lado da capela de Santo Antônio. Artistas também se apresentaram em outros pontos do bairro, animando ainda mais a festa.