Maricá promove 2ª Conferência do Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário

0
363

A Secretaria Municipal de Aquicultura, Pesca, Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Maricá, realizou nesta quarta-feira (07/08), a 2ªConferência Municipal do Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário. Na plateia, produtores rurais, técnicos e autoridades do governo como o secretário da pasta, Rubem Pereira, o gerente de produção da Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj), Rodrigo Fróes, e o gerente geral da Emater –RJ, José Henrique Moraes.

Após a abertura, foram apresentados projetos em andamento na cidade e abordados temas como cidadania e formação de conselhos municipais, desenvolvimento econômico e ambiental, fortalecimento da agricultura familiar e agroecologia, reforma agrária e democratização de acesso à terra, desenvolvimento rural e qualidade de vida, gestão e participação social (reformulação dos conselhos de desenvolvimento rural e volta da infraestrutura do Pronaf a nível municipal). Grupos de trabalho foram formados para discutir propostas, que serão encaminhadas para a Conferência Regional que acontecerá em setembro e para a Conferência Nacional, a ser realizada em novembro, em Brasília.

Diagnóstico

De acordo com o técnico da Fiperj, Rodrigo Fróes, um projeto de aquicultura continental (produção de peixes e camarões em açudes e tanques) já foi apresentado à comunidade rural maricaense e está em fase de implementação. “Estamos fazendo um cadastro e um diagnóstico (censo) dos produtores e das possíveis áreas para implantação de viveiros (tanques) escavados, para criação de tilápia e outras espécies”, explica Rodrigo. O trabalho foi iniciado há pouco mais de um mês. “Orientamos tecnicamente a implantação desses projetos, inclusive para que possam obter financiamento público. O número de produtores ainda é pequeno, porém acreditamos que aumentará a curto e médio prazo, pois Maricá reúne condições para este tipo de projeto, que cria alternativas de trabalho como a agricultura consorciada à criação”, completou Froes.

Ainda segundo Rogério, o tempo para implantação e produção de um viveiro depende de fatores como: quantidade de água (a vazão mínima de 1 litro/segundo, em um tanque de 1 mil metros cúbicos produz até 1.500 kg. de pescado), licenciamento ambiental e assistência técnica. “O financiamento pode ser feito pelo Plano Safra do Ministério de Pesca e Aquicultura, com juros em torno de 2% ao ano, o que facilita o investimento do pequeno produtor e do agricultor familiar”, adianta. Os interessados podem procurar a Secretaria de Aquicultura e Agricultura de Maricá, que fica à Estrada de Ubatiba, s/nº. Telefone: (021) 3731-4014.