Proprietários de aeronaves estacionadas no aeroporto retiram equipamentos

0
788

Um dia depois de a Prefeitura ter decretado a suspensão das operações no aeródromo municipal de Maricá, representantes de empresas e proprietários de aeronaves procuraram a secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico nesta quinta-feira, 12/09, para obter a autorização de retirada. De acordo com o secretário Lourival Casula, o fechamento do aeródromo não impede os proprietários de qualquer bem guardado no local de retira-lo.  A prefeitura decidiu fechar o aeródromo após o acidente, nesta quarta-feira, durante um vôo de instrução. O avião caiu sobre casas em pleno centro da cidade,  a aproximadamente 800 metros da pista, matando o piloto e deixando o aluno ferido.  

Até o fim do expediente, sete empresas tinham feito o pedido formal, com a apresentação da documentação de propriedade da aeronave e um documento que comprove que a pessoa tem autoridade legal sobre o bem.  A autorização de retirada é expedida na hora, com liberação imediata.  Com isso, pelo menos cinco aviões deixaram o aeródromo durante o dia, dos doze autorizados. O secretário de Desenvolvimento Econômico alerta para que as outras aeronaves e equipamentos sejam retirados logo. “A Prefeitura já está providenciando a interrupção da pista junto à Agência Nacional de Aviação Civil. Depois que a ordem chegar, nada mais poderá decolar ou pousar dali”, alerta Lourival Casula.

A interdição do aeródromo é parte da batalha judicial enfrentada pela Prefeitura para reaver e reordenar o local, já que todo o controle é feito por empresas instaladas irregularmente no terminal. De acordo com determinação do TCE, que considerou ilegais as doações das áreas sem licitação, os alvarás de funcionamento dessas empresas foram cassados no ano passado e nenhuma tem mais qualquer autorização que garanta sua operação.