Documentário sobre escravidão é a atração desta quarta no Cineclube Henfil

0
826
Filme fala sobre o Cais do Valongo, considerado o maior ponto de escravos do país entre os séculos XVIII e XIX

“Cais do Valongo, Sangra da Terra” conta a história de um dos maiores pontos de entrada de escravos da história do Brasil

O Cineclube Henfil de Maricá desta semana volta no tempo para falar sobre uma importante ferida da história brasileira: a escravidão. Nesta quarta-feira (25/09), às 19h, o projeto da secretaria municipal de Cultura exibe gratuitamente o documentário “Cais do Valongo, sangra da terra”, do diretor Wavá de Carvalho, na Casa de Cultura, no Centro. O filme integra a programação da semana “Primavera dos Museus”, evento organizado pelo Instituto Brasileiro dos Museus e que terá atividades de valorização da cultura africana de hoje (23) até sexta-feira (27). Haverá distribuição de senhas 30 minutos antes do início do filme no Cineclube.

O documentário aborda o Cais do Valongo, considerado o maior ponto de escravos do país nos séculos XVIII e XIX e que, segundo historiadores, recebeu mais de um milhão de negros trazidos da África naquele período. Durante as recentes obras de revitalização da Zona Portuária do Rio, foram encontradas as ruínas do ancoradouro, que possui cerca de 350 metros de comprimento.

Com roteiro e direção do historiador Wavá de Carvalho, o longa-metragem traz depoimentos da arqueóloga Tania Andrade Lima (Museu Nacional), do historiador Carlos Eugênio Líbano (Universidade Federal da Bahia) e do cantor Luiz Melodia.

A redescoberta do cais é um resgate de parte da história nacional, que havia sido enterrada em 1843 para a construção de um ancoradouro para receber a imperatriz Teresa Cristina, que chegaria ao Brasil para se casar com Dom Pedro II. De acordo com historiadores, foi feito um aterro de 60 centímetros de espessura em cima do Valongo para apagar vestígios de escravidão.

Atualmente, o Cais do Valongo faz parte do Porto Maravilha Cultural, um circuito histórico que inclui ainda a Pedra do Sal, o Largo do Depósito, o Instituto Pretos Novos e o Centro Cultural José Bonifácio.

A Casa de Cultura de Maricá fica na Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro.