Referência nacional, gestão administrativa de Maricá atrai interesse de municípios

0
1301
Referência nacional de gestão administrativa e fiscal, Maricá recebeu funcionários municipais de Volta Redonda (RJ)

Servidores de Volta Redonda (RJ) e Luiz Eduardo Magalhães (BA) conheceram o funcionamento da máquina pública maricaense

Referência nacional de gestão administrativa e fiscal, Maricá recebeu, respectivamente, nesta quarta (16/10) e quinta-feira (17/10) funcionários municipais de Volta Redonda (RJ) e de Luiz Eduardo Magalhães (BA). As duas cidades se interessaram em conhecer de perto os benefícios do programa de modernização administrativa (PMAT) implementado pela Prefeitura de Maricá em 2011, com financiamento no valor de R$ 10,5 milhões do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Dentre alguns avanços propostos pelo PMAT, estão a reforma do Paço Municipal e a implantação do e-cidade, que é um programa de modernização das rotinas administrativas da prefeitura, por meio do uso de softwares livres na gestão municipal.
 
De Luiz Eduardo Magalhães, município da Bahia, com mais de 70 mil moradores e considerada a décima maior economia do estado da Bahia, o assessor de gabinete da área de tecnologia, Werther Brandão, e o assessor de gabinete da área tributária, Gilberto Mattos, vieram para acompanhar o sistema. Segundo Werther, a cidade implantou, no ano passado, o PMAT e o e-cidade na área da educação. "Maricá é referência nacional pelo sucesso desse programa. Nosso interesse é verificar na prática o funcionamento do software para avaliar a viabilidade de ampliar o atendimento do sistema para as áreas tributária, contábil e de recursos humanos", destacou o assessor de tecnologia, acrescentando que a economia da cidade é voltada para área de agronegócios, concentrando 60% da produção de grãos do estado.

Já de Volta Redonda (RJ), conhecida como a "Cidade do Aço", com 260 mil habitantes, veio um grupo com cinco funcionários públicos (Edvaldo Luiz Silva, diretor técnico; Júlio Santos da Silva, gerente de divisão de Contabilidade; Flávio Henrique de Sá, diretor de finanças e controle; Sérgio Ricardo Eugênio, diretor de patrimônio e Paulo César Coutinho da Silva, diretor de orçamento e controle). Segundo Edvaldo, a cidade, na região do Vale Paraíba, não possui um sistema integrado para organizar os processos administrativos públicos. "Queremos implantar um programa moderno capaz de adequar e padronizar as atividades realizadas pela gestão pública. O e-cidade permite que a prefeitura tenha livre acesso e que seja adaptado à nossa realidade. Maricá é um case de sucesso e viemos exatamente para absorver os benefícios desse sistema", declarou o diretor técnico.

De acordo com o secretário municipal de Fazenda, Roberto Santiago, o sistema e-cidade permitiu modernizar a administração da cidade, concentrando todas as informações num banco de dados único. "Havia quatro sistemas administrativos que não conversavam entre si e não garantiam total confiabilidade nas informações, além de problemas referentes à tecnologia, infraestrutura e armazenamento dos dados públicos. Agora o e-cidade é a grande plataforma de armazenamento e gerenciamento de dados garantindo grandes avanços nas rotinas administrativas", declarou o secretário.

Em 2012, as prefeituras de Almeirim (PA), Dias D`Ávila (BA), São Francisco do Conde (BA), Itabira (MG) e Rio das Ostras (RJ) também visitaram Maricá para conhecer o funcionamento do Programa de Modernização da Administração Tributária e Gestão dos Setores Sociais Básicos (PMAT).

Gestão Fiscal

Além da excelência na gestão administrativa, Maricá também conquistou um bom aval no cenário nacional em termos de gestão fiscal. O levantamento denominado Índice de Gestão Fiscal realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), a cidade pulou da 2346ª posição em 2010 para a 285 posição em 2011 no ranking nacional (entre mais de 5 mil municípios avaliados) de eficiência na aplicação dos recursos provenientes da coleta de impostos e da transferência de estados e da União. No âmbito regional, o destaque se repetiu, com o município passando da 72ª posição em 2010 para a 13ª posição em 2011, entre os 92 municípios do Rio. O ranking é estabelecido a partir de dados enviados por todas as cidades, obrigatoriamente, ao Tesouro Nacional.