Maricá promove campanha no Dia Mundial de Combate à Hanseníase

0
451

A Secretaria Municipal de Saúde de Maricá encerrou hoje (24/01) o atendimento itinerante à população, em atenção ao Dia Mundial de Combate à Hanseníase. A coordenadora municipal do Programa de Hanseníase, Amália Salimena da Silva, e sua equipe promoveram atividades como aferição de pressão, panfletagem, palestras, teatro educativo e consultas de pacientes com suspeitas de novos casos.

Um ‘Caminhão da Saúde’ do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (MORHAN) atendeu durante três dias (22,23 e 24/01) o público de Inoã, Ponta Negra e Centro da cidade, consultando e encaminhando pessoas para a rede pública de Saúde, entre elas o ambulatório do Hospital Conde Modesto Leal.

“Temos alguns casos registrados, mas a subnotificação ainda é grande, pelo desconhecimento dos sintomas da doença. A hanseníase é hoje totalmente curável, se tratada a tempo.  Apesar do tratamento fácil, muitos desconhecem a doença e seus sintomas, e não se cuidam. Após 48 horas de tratamento, qualquer possibilidade de contágio é anulada, desde que o tratamento não seja interrompido. A rede pública de Saúde é a única autorizada ao tratamento (PQT/OMS) e fornece os medicamentos ”, informou a coordenadora Amália.

Sintomas

A Hanseníase, também conhecida como lepra, é uma doença infecto contagiosa e transmitida pela bactéria (Mycobacterium leprae), conhecido como Bacilo de Hansen. Ele ataca células cutâneas (pele) e células dos nervos periféricos. Os sintomas da doença são: sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades, manchas brancas ou avermelhadas, perda de sensibilidade ao calor, frio, à dor e ao toque; áreas da pele que apresentem alteração da sensibilidade e da secreção de suor; caroços e placas em qualquer região do corpo e diminuição da força muscular (dificuldade para segurar objetos).

A transmissão ocorre através do contato direto com doentes sem tratamento, através de secreções nasais, fala, tosse e espirro. O período de incubação ocorre em média de dois a cinco anos. Não é transmitida por meio de utensílios domésticos (copos, pratos, talheres); cadeiras, bancos, assentos; apertos de mão, abraços e contatos rápidos em transportes coletivos; picada de inseto; relação sexual; aleitamento materno; doação de sangue; herança genética ou congênita (gravidez).

O Serviço de Controle da Hanseníase em Maricá pode ser contatado pelo telefone (21) 2637-1713.