Mutirão de cirurgias ortopédicas é realizado com sucesso em Maricá

0
968
As cirurgias foram realizadas por uma equipe de cinco médicos, anestesista, enfermeiros, técnicos de enfermagem e instrumentadores.

Doze internos do Hospital Municipal Conde Modesto Leal foram operados ontem (16/02) em um mutirão de cirurgias ortopédicas, que obteve pleno êxito, deixando pacientes e  familiares satisfeitos com o resultado. Os beneficiados, de 18 a 83 anos, passaram por cirurgia de fraturas de colo de fêmur, tíbia, fíbula ou platô tibial e distal. A listagem contemplou 11 cirurgias eletivas e uma de emergência, todas de média complexidade. Segundo a gerente de Enfermagem do hospital, Marcelle Rezende, onze cirurgias estavam programadas, mas, devido a um acidente de moto, mais um paciente foi beneficiado. As cirurgias foram realizadas por uma equipe de cinco médicos, anestesista, enfermeiros, técnicos de enfermagem e instrumentadores.

Leandro Parola dos Santos, 29 anos, servente de pedreiro, foi operado da tíbia devido a um acidente de moto. Internado há uma semana, o ajudante estava aliviado. “Acredito que terei alta logo. Quero voltar para minha família e recuperar-me em casa. Fui bem atendido aqui, e, segundo o médico, minha operação foi bem-sucedida”, adiantou.​

Maria da Silva Francisca, 83 anos, levou uma queda em casa e fraturou o fêmur. Maria recebeu uma placa de aço para proteção do osso.  Ontem mesmo, após a cirurgia, recebeu a visita dos seus familiares.  O neto Joaquim, de 29 anos, elogiou o trabalho da equipe médica. "Agradeço a atenção das enfermeiras, que se revezaram com carinho no atendimento”, disse.

Já o biscateiro Ademir Santos, 54 anos, caiu da laje e precisava de uma cirurgia na perna esquerda. Esperava essa cirurgia há mais de um mês e gostei do resultado e do atendimento”, declarou. Para sua sobrinha, a professora Gilmar dos Santos, o atendimento foi bom e o problema chegou ao fim. O pedreiro Sérgio Fernandes, irmão de Ademir, expressou sua expectativa: “tomara que esse serviço não pare, para que outras pessoas sejam beneficiadas também”, comentou.

O cirurgião Rafael Agostinho, 29 anos, falou em nome dos colegas. “Essa iniciativa está sendo muito proveitosa. Ganha o paciente, a família, a saúde de Maricá e, nós, os médicos. Além de uma experiência importante no currículo, estamos prestando um serviço a mais à coletividade”, frisou.

Segundo Izabela Duarte, diretora geral do Hospital Conde Modesto Leal, o mutirão de  cirurgias continuará também em outras especialidades. “Já foram implantadas nessa nova gestão as cirurgias vascular e pediátrica e, muito em breve, realizaremos as de clínica geral e ginecológica. Contamos com a boa vontade dos cirurgiões, que realizam esses mutirões de forma voluntária. Agradecemos também ao apoio do Hemonúcleo de São Gonçalo, que garante o suporte de sangue, em caso de necessidade. Nossa unidade de transfusão está em obras, devendo ficar pronta antes do Carnaval”, enfatizou.

A médica e subsecretária de Atenção Básica, Claudia Souza, afirmou que a iniciativa é de caráter emergencial para atender esses pacientes em especial, mas que o procedimento irá se tornar rotina no município. “Ao agilizar o atendimento das cirurgias, as sequelas são diminuídas, com consequente melhora da qualidade de vida do paciente”, falou.

A secretária municipal de Saúde, Fernanda Spitz, recebeu a primeira dama, Rosangela Zeidan, que visitou os pacientes, entregou flores à equipe médica e comentou sobre o novo procedimento. “Esse é um marco na história do hospital e da saúde do povo de Maricá. Está assumindo uma nova equipe que tem a proposta de trabalhar com a comunidade e um conselho de médicos, na formulação de uma nova política de atenção básica”, concluiu.