Primeira turma do Pronatec é formada em Maricá

0
883
Alunas do curso de Hospitalidade e Lazer (auxiliar de cozinha) receberam certificado de conclusão do IFF e da Prefeitura de Maricá

A noite da última sexta-feira (dia 14) foi especial para as alunas de Hospitalidade e Lazer (auxiliar de cozinha), do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Primeira turma a se formar no município, os estudantes receberam um certificado de conclusão do Instituto Federal Fluminense (IFF) e outro da Prefeitura de Maricá, através da Secretaria de Educação. A cerimônia ocorreu no CAIC Elomir Silva, em São José do Imbassaí.

A superintendente de Ensino Médio e Profissionalizante, Verônica Machado, iniciou o cerimonial. Representando a secretária de Educação, Marta Quinan, ela agradeceu a presença de todos e citou a importância de participar do evento. “Estou muito feliz em poder participar dessa formatura, pois eu testemunhei no dia a dia o quanto foi difícil para vocês cumprirem todo cronograma do curso”, declarou ela.

Já Emerson Brum Bittencourt, representante do Instituto Federal Fluminense (IFF) e coordenador do Pronatec, lembrou que essa era a primeira turma que o IFF forma na cidade de Maricá. “O Instituto Federal Fluminense se orgulha muito por estar formando a primeira turma em Maricá. Esse desafio nos foi lançado pela Prefeitura e, hoje, tivemos a nossa primeira vitória. Guardem bem essa data, pois vocês estão entrando para a história deste município”, disse orgulhoso.

As quatro formandas fizeram questão de agradecer a oportunidade de realizar o curso. Lucivania da Silva, de 36 anos, confessou o quanto foi difícil chegar até o final. “De manhã, corria para o trabalho e, à noite, três vezes por semana, vinha para o curso. Confesso que muitas vezes pensei em desistir, mas minhas professoras sempre me incentivaram a continuar. Agora, olho para trás e vejo que sou vitoriosa”, conta emocionada.

Carmem Medeiros, de 38 anos, e Tatiana Quintanilha, de 34, já tinham experiências como cozinheiras, mas falaram que aprenderem muito com o curso, principalmente nas aulas de técnica de higiene. “Estamos orgulhosas por receber esse certificado, pois muitas vezes deixamos de cumprir as obrigações de casa para estar aqui. Hoje, podemos dizer que valeu a pena”, agradeceram.

 Angélica da Cunha Abreu, de 36 anos, é cozinheira doméstica e disse que, no trabalho, todos perceberam e aprovaram as mudanças no seu modo de cozinhar. “No meu trabalho, todo mundo está percebendo as mudanças, tanto no paladar quanto na questão da higiene dos alimentos. Com o curso, além de cozinhar melhor, vou poder ganhar um dinheiro extra. Em breve, começarei minha produção de congelados”, comemorou ela.