Assistência Social entrega certificados de cursos do CRAS

0
544
Assistência Social entrega certificados de cursos do CRAS

A tarde de terça-feira (15/07) foi de festa e emoção para 267 alunos dos cursos profissionalizantes oferecidos pelas sete unidades do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS). Os formandos receberam seus certificados de conclusão em uma cerimônia realizada na quadra do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU). Os cursos foram de Corte de Cabelo, Jardinagem, MDF, Panificação, Biscuit, Manicure e E.V.A. 3D (bonecos em TNT), além de dança e capoeira.

Antes da solenidade, os alunos puderam mostrar o que aprenderam para os convidados. Em uma mesa, objetos e produtos alimentares produzidos por eles foram oferecidos para venda. "Eu já fazia esses bonecos antes, só para festas da família, mas o curso melhorou minha técnica. Agora quero que vire o meu negócio", projetou Michele Gonçalves Miranda, de 36 anos, que fez o curso de E.V.A. no CRAS do Marine, onde mora.

Na mesma unidade, a empregada doméstica Elva Vilma Félix da Silva, de 38 anos, fez também o curso de EVA e mais o de biscuit. E tem os mesmos planos da colega. "Vou mudar de ramo agora e vender meus produtos. Fazer esse curso foi maravilhoso para mim, melhorou até minha autoestima", atestou ela.

Houve ainda apresentações de dança e capoeira para os presentes e, também, depoimentos de alguns dos formandos, todos agradecendo à dedicação dos professores, chamados de ‘oficineiros’. Para a subsecretária de Assistência Social, Laura Vieira da Costa, os cursos têm também um caráter libertador para algumas das alunas. "Como temos maioria de mulheres, há muitas histórias de gente que sofria até violência doméstica e que não tinha como sair da relação por dependência financeira. Agora muitas delas podem ter sua própria renda e serem independentes", avaliou. "Parece bobagem um curso que ensina a ‘fazer bonecos’, mas para elas isso representa uma mudança de vida grande", observou Laura.

O secretário Jorge Castor afirmou que esses cursos estão criando uma mão de obra qualificada da qual a cidade vai dispor no futuro. "Criamos esse grupo de oficineiros que realiza um trabalho belíssimo. Estamos profissionalizando essas pessoas hoje para que elas estejam prontas na hora de maior que crescimento que Maricá vai experimentar, mas elas já estão gerando renda hoje, atuando em seus setores", frisou.