Lavagem da escadaria da Igreja Matriz entra para o calendário oficial de eventos do município

0
553
Lavagem da escadaria da Igreja Matriz entra para o calendário oficial de eventos do munícipio

Um das mais importantes atividades da matriz religiosa afro-brasileira realizada em Maricá, a Lavagem da Escadaria da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Amparo, foi inserida no calendário oficial de eventos do município. A medida se deu por meio da Lei nº 2512, de 20/05/14, publicada no Jornal Oficial de Maricá (JOM), de 11/06/14. O evento é organizado pela Fonte para Orientação Religiosa das Matrizes Africanas (Forma), com apoio da Prefeitura de Maricá – por meio das secretarias municipais de Cultura, Turismo e Assuntos Religiosos – e reúne grupos religiosos de terreiros de tradições afro da cidade e região. Realizada há 15 anos, a lavagem em Maricá é a terceira maior no Brasil, ficando somente atrás da famosa lavagem da Igreja do Bonfim, em Salvador (BA), que ocorre há 120 anos, e da Igreja São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, realizada há 20 anos.

Tradicionalmente realizado na primeira quinzena de janeiro, em 2014 o evento contou com a participação de aproximadamente 500 pessoas, de diversas religiões, inclusive de outros estados. A presença reforça o caráter ecumênico da cerimônia e as ações contra atos de intolerância religiosa. 

Para o superintendente de Assuntos Religiosos, Antônio Jonas Chagas Marreiros, Babalorixá  Jonas de Jagun, mais conhecido como Pai Liminha de Maricá, a lei é um reconhecimento de um importante trabalho que vem sendo realizado na cidade. “Trata-se de uma grande oportunidade para representar umbandistas e candomblecistas do município, evidenciando a nossa luta pela garantia de direitos e de liberdade”, declarou. Para Pai Liminha, Maricá acompanha os fatos e eventos nacionais e internacionais do setor que são realizados no mundo. O superintendente esclarece ainda que a Forma, instituição da qual também é presidente, mantem, desde 1999, um trabalho nas áreas social, pedagógica, política, econômica e cultural junto aos membros de terreiros de tradições afro da região, por meio de seu projeto FAC (Fé, Atitude e Cidadania).