Projeto Caminhos do Cuidado prepara Agentes de Saúde de Maricá

0
704
Projeto consiste na capacitação dos agentes comunitários de saúde para melhorar o atendimento aos usuários de drogas

A Secretaria de Saúde de Maricá, em parceria com a parceria da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), Grupo Hospitalar Conceição e ET-SUS, deu início nesta sexta-feira (08/08) ao “Projeto Caminhos do Cuidado”, do Ministério da Saúde, que consiste na capacitação dos agentes comunitários de saúde para melhorar o atendimento aos usuários de drogas. O projeto inclui ainda os técnicos de enfermagem do município. O curso, com carga horária de 60 horas (40 horas de aulas teóricas e 20 horas de aulas práticas), acontece na Universidade Severino Sombra em Maricá.

Para a coordenadora do Programa Estratégia Saúde da Família, Luana Rodrigues, o diferencial do curso é a qualificação. “Os profissionais aprendem a ter uma escuta mais qualificada e sem preconceitos aos usuários e familiares das pessoas que possuem um consumo prejudicial de álcool, crack e outras drogas, de forma que possam acolhê-los e reduzir os danos dessas drogas e, consequentemente, oferecer melhor qualidade de vida a essas pessoas e seus familiares”, explica.

De acordo a enfermeira e tutora Luciane dos Anjos, o curso irá ajudar os profissionais a utilizar melhor suas ferramentas de trabalho. “Uma formação em saúde mental, com foco no crack, álcool e outras drogas, tem a temática muito proveitosa para a área de trabalho de cada um dos agentes. Temos visto que esses temas são cada vez mais necessários para que a gente venha saber lidar com esse público, tirar os preconceitos, colocar de lado o medo que alguns têm em tratar o dependente químico ou o paciente em saúde mental”.

Na ocasião, cada agente comunitário recebeu um kit com mochila, Guia de Saúde Mental e Caderno do Aluno, com o conteúdo a ser estudado durante o curso.  Segundo a agente comunitária Juliana Tato, da unidade de saúde de Ponta Grossa, o curso será um espaço para esclarecer dúvidas e aprender mais. “É sempre muito bom participar das capacitações. Os jovens estão buscando cada vez mais a opção das drogas. Então aprender é positivo, pois ajudaremos essas pessoas”, afirma.