Ação social com equipes do Programa Saúde do Homem em praça da cidade

0
575
Intuito da ação foi promover a divulgação das atividades realizadas pela equipe do programa

A equipe do programa Saúde do Homem, que o Ministério da Saúde implantou em diversos municípios brasileiros, realizou nesta quarta-feira (27/08), das 9h às 17h, uma ação social na Praça Conselheiro Macedo Soares, no Centro de Maricá, para divulgação das atividades – inéditas no município e região. Os profissionais, coordenados pelo enfermeiro Leandro Bastos e em parceria com outras coordenações da Subsecretaria de Atenção Básica em Saúde, realizaram aferição de pressão, teste de glicose (programa Hiperdia), Hanseníase, Tuberculose, DSTs/Aids, e Planejamento Familiar, entre outros. No decorrer do dia, dezenas de pessoas procuraram o serviço gratuito.

Segundo Leandro, o programa Saúde do Homem foi implantado para preencher uma lacuna urgente, já que as crianças (0 a 10 anos) são atendidas por pediatras, o adolescente (11 a 19 anos) tem o programa ‘Saúde para o Adolescente’ e o idoso (60 anos em diante) tem o programa ‘Saúde do Idoso’. "Os homens de 20 a 59 anos estavam descobertos, sem um programa específico", afirma o coordenador. "São 53 milhões de pessoas do sexo masculino no país incluídos nesse perfil. Além disso, a quantidade de subnotificações é imensa, pois o homem tem uma resistência cultural a tratar preventivamente da saúde", disse, acrescentando breve comparação com as mulheres. "Elas aprendem a se cuidar desde a pré-adolescência. Aos 12 anos, por exemplo, a mãe a leva ao ginecologista, que a orienta e a ajuda a prevenir-se de possíveis doenças. Já o homem descuida-se por preconceito e/ou comodismo", completou.

Ainda de acordo com Leandro, o programa foi implantado conforme normativa do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS), que prevê equipe médica integral para o atendimento em Atenção Básica. São dois enfermeiros, clínico geral, urologista, cardiologista, nutricionista e psicólogo, que atendem de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, no Ambulatório Central Félix Siqueira (antigo Centro de Diagnósticos). "Além do câncer de próstata, com incidência elevada de óbito, o câncer de pênis já atinge 2,0% dos casos", afirma. Para evitar, a criança deve fazer cirurgia de fimose e o adulto deve visitar periodicamente o médico. No caso da próstata, a partir dos 45 anos, é preciso exames anuais (PSA, exame de imagem e exame de toque). "Pretendemos, em breve, realizar um trabalho itinerante, para atingir os bairros mais distantes, atendendo a faixa etária do programa em áreas rurais, com maior dificuldade de acesso e informação", completou.

Serviços prestados

Na ação realizada na Praça Conselheiro Macedo Soares, diferentes serviços foram prestados à população. De acordo com a Silvana Maráu Waldheim, do programa Hiperdia, uma das coordenações parceiras da Atenção Básica em Saúde, muitos aproveitaram para fazer o teste de glicose. "Vimos casos de hipertensão e glicose alta em que a maioria dos atendidos desconhecia seu comprometimento glicêmico", contou. Os serviços de prevenção à tuberculose e Hanseníase  também foram procurados, assim como a dengue.

João Batista de Carvalho, de 63 anos, verificou a pressão e a glicose, que estavam normais. "Por conta do trabalho e do esporte, faço sempre check-up, não me descuido com a saúde", garantiu. Edson Jesus dos Santos, de 63 anos, fará uma cirurgia de ouvido e precisa passar pelo cardiologista. "Já marquei os exames, mas é sempre bom saber que temos mais médicos especialistas à disposição quando precisarmos", comentou.