Prefeitura realiza mais uma palestra sobre redução de riscos

0
392
Palestrante abordou temas como alagamentos, deslizamentos, e citou as medidas de prevenção, como a remoção de moradores em áreas de risco

A Prefeitura de Maricá, através da Secretaria Municipal de Obras, realizou nesta quarta-feira (29/10), no teatro do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), na Mumbuca, mais uma palestra sobre o programa de redução de riscos de enchentes e inundações. A primeira da série, realizada há algumas semanas na Universidade Severino Sombra, foi apresentada para servidores administrativos e das áreas operacionais de Segurança, Saúde e Defesa Civil, entre outras. O encontro dessa quarta foi aberto ao público em geral. 

O trabalho vem sendo desenvolvido em parceria com a Organização Social de Apoio à Vida (Osbravi), vencedora de licitação pública realizada pela administração municipal. O plano inclui etapas como a prevenção (multiplicação de informações, através de reunião com autoridades e lideranças, palestras com a sociedade civil, e capacitação da comunidade – treinamento). Contemplará, ao final, a confecção de um diagnóstico que será registrado na Caixa Econômica Federal, gestora e mandatária do Ministério das Cidades, para avaliação de programas e projetos que dependam de convênio com dotação do Governo Federal.

O palestrante, major do Corpo de Bombeiros Alexandre Souza, foi apresentado pelo presidente da Osbravi, Cláudio Rocha. Souza abordou temas como alagamentos, deslizamentos, e citou as medidas de prevenção e proteção no caso dessas catástrofes naturais, entre elas a remoção de moradores de imóveis em áreas de risco. Quanto aos acidentes naturais em área pública, como bueiros abertos, encostas e barrancos instáveis, pontes com problemas e outros, serão mapeados e avaliados, para as devidas obras de contenção.

“No ambiente doméstico, é importante a eliminação de produtos contaminados pelas enchentes, como água, alimentos e roupas, e os cuidados com os não contaminados, como água potável (caixa d’água), alimentos guardados, água para banho e limpeza do ambiente (esterilização com água sanitária e/ou cloro)", informou o major, afirmando se tratarem de informações que ajudam a população a se prevenir e se resguardar de doenças.  "O cuidado com o lixo, evitando principalmente o despejo ilegal e incorreto nas ruas, encostas e barrancos, evita o entupimento dos bueiros e assoreamento dos rios, principal causadores das enchentes e alagamentos”, completou o palestrante.

Ainda de acordo com o major Souza, objetos de grande volume, como sofás e móveis velhos, sem serventia, não podem ser colocados em via pública. Cabe à Prefeitura, através do setor competente, o descarte desses volumes. “Jogar tais objetos em rios, lagoas, ruas ou terrenos baldios, é crime ambiental, sujeito a penalidades conforme prevê o Código Municipal. É preciso estar atento a essas situações, que assoreiam os cursos d’água, assim como deslizamentos, para evitar ou reduzir danos e tragédias como as que aconteceram em 2010 e 2012, em diversos municípios fluminenses”, afirmou.

Cartilhas 

 

Foram distribuídas cartilhas educativas contendo um questionário sobre o município. Além do subsecretário de Obras, Romildo Silva, da subsecretária Regina Célia, da gerente de Gestão em Projetos Públicos da CEF, Valéria Teles, do comandante da Defesa Civil Municipal, coronel Ricardo Nunes, e de representantes de outras secretarias, participaram também do evento dezenas de taxistas e moto-taxistas, convidados por conhecerem de perto os problemas do município. “O verão está chegando, e com ele, as chuvas mais fortes. Vocês circulam por toda a cidade, conhecem suas ruas, localidades e bairros, e podem nos ajudar, como multiplicadores dessas informações. O plano é abrangente e será regulador da nossa segurança quanto a essas catástrofes. Mas para isso é necessário a participação de toda a sociedade civil. Pretendemos  mobilizar as comunidades maricaenses para que interajam conosco, nessa cruzada de prevenção para sua própria segurança”, enfatizou o subsecretário Romildo Silva.

O mototaxista Alan Silveira, 25 anos, morador de Inoã, disse ser importante receber esse tipo de informação. "Andando pelo município vemos muita coisa”, adiantou. O presidente da Coopermoto Maricá, Emanoel Messias, 29, também achou relevante a apresentação. “O prefeito nos deu essa oportunidade de trabalho e queremos colaborar, contribuindo com informações que possam ajudar o plano de redução de riscos”, concluiu. 

Em caso de emergência, a população pode acionar os órgãos responsáveis pelos telefones 193 (Corpo de Bombeiros), 199 ou 2637-1999 (Defesa Civil).