Cineclube Henfil apresenta clássicos do cinema francês nesta quarta

0
531
Clássico "Viagem à Lua" um dos filmes exibidos nesta quarta-feira

O Cineclube Henfil de Maricá, projeto da Secretaria Municipal de Cultura, apresenta nesta quarta-feira (03/12) os primeiros filmes produzidos, em 1895, pelos irmãos Louis e Auguste Lumière. O projeto traz ainda a exibição do clássico francês “Viagem à Lua” (“Le voyage dans la lune”), de 1902, considerado um dos principais filmes de Georges Méliès, um dos precursores do cinema, que usava efeitos fotográficos inovadores na época para criar mundos fantásticos. A sessão é gratuita e é realizada a partir das 19h, na Casa Digital, no Centro da cidade.

Primeiros Filmes dos irmãos Lumière

Com uma poética única, os oito filmes apresentados, em Paris, em 1895, abriram portas ao mundo da sétima arte.  Filmados ao ar livre, eles exibem o registo de situações cotidianas, de produções documentais de tendência realista e cada um deles tem com pouco mais de cinquenta segundos. 

Os engenheiros franceses Louis e Auguste, conhecidos como os irmãos Lumière, são considerados, hoje, os pais do cinema. Foram os Lumière que fabricaram o cinematógrafo (cinématographe), uma máquina de filmar e projetor de cinema. O aparelho – uma espécie de ancestral da filmadora – é movido à manivela e utiliza negativos perfurados, substituindo a ação de várias máquinas fotográficas para registrar o movimento.

“Viagem à Lua” (“Le voyage dans la lune”)

Com 14 minutos de duração, “Viagem à Lua” é composto de mais ou menos 30 cenas, sem nenhum diálogo ou closes. Baseado em dois romances populares de seu tempo: “Da Terra à Lua”, de Julio Verne; e “Os primeiros homens na ua”, de H. G. Wells, o clássico tinha em seu elenco Victor André, Bleuette Bernon, Brunnet, Jeanne d’Alcy e Henri Delannoy.

Escolhido um dos cem melhores filmes do século XX, no ranking da “The Village Voice”, ocupando a posição de número 84, o “Viagem à Lua” é considerado o primeiro filme de ficção científica e o primeiro a tratar de seres alienígenas, utilizando recursos inovadores de animação e efeitos especiais, incluindo a famosa cena da nave pousando no olho da "Homem da lua".

Além de ser considerado o "pai dos efeitos especiais", Méliès fez mais de 500 filmes e construiu o primeiro estúdio cinematográfico da Europa. Também foi o primeiro cineasta a usar desenhos de produção e storyboards para projetar suas cenas. Era proprietário do Théatre Robert-Houdin, em Paris, que havia pertencido ao famoso ilusionista francês Jean Eugène Robert-Houdin.

Este mês, o projeto municipal ainda exibe “A Felicidade não se Compra”, no dia 10/12, e “Tokyo Godfathers”, no dia (17/12), ambos retratam a época natalina.