Fazenda realiza recadastramento de grandes áreas junto com alunos de Edificações

0
570
Alunos do curso técnico de Edificações do CEM Joana Benedicta Rangel colaboram no trabalho de recadastramento territorial do município

Um grupo de estagiários do curso técnico de Edificações do CEM Joana Benedicta Rangel começou a participar nesta quinta-feira (12/2) de um trabalho de recadastramento de áreas em expansão de Maricá, que servirão para atualizar o banco de dados coletado no mapeamento aéreo realizado em 2012. Acompanhados de funcionários da Secretaria Municipal Adjunta de Fazenda, os estudantes realizam medições em condomínios que ocupam grandes espaços nos bairros de Ubatiba, Espraiado, Jaconé e Inoã. A previsão é que o trabalho dure cerca de três meses.

Para a coordenadora Luciane Micheli Ferreira, o recadastramento deverá revelar também uma série de construções irregulares que surgiram depois do primeiro mapeamento. “Esses locais que estamos recadastrando ainda não eram visíveis na época e agora que as urbanizações estão sendo feitas eles começam a aparecer. Somando esses condomínios, nossa expectativa é encontrar cerca de 5 mil novos imóveis que também não constavam em 2012”, afirmou ela.

No primeiro dia, os sete alunos visitaram o Residencial Pilar, na região de mesmo nome às margens da rodovia RJ-114, ao lado de uma antiga fazenda. Munidos de pranchetas e tablets, eles fizeram anotações e as enviaram online direto para o banco de dados. A atividade teve a carga horária incluída na grade curricular dos estudantes. “É importante participar porque podemos ver ‘in loco’ as condições do terreno e fazer uma avaliação mais precisa. Acho muito necessária essa atividade, é algo que vai fazer a diferença lá na frente”, avaliou Vinícius Nogueira, de 18 anos, aluno apontado como destaque da turma.

Os estudantes do curso técnico têm exemplos que podem servir de inspiração na própria Prefeitura. As universitárias Jéssica Maria da Costa Brito, de 21 anos, e Mayara da Silva Oliveira, de 20, também fizeram o estágio quando eram alunas de Edificações e acabaram sendo contratadas pela Secretaria Adjunta de Fazenda para seus primeiros empregos na área. 

“A base que o curso deu é muito sólida e o estágio foi fundamental para que eu pudesse aplicar na rotina diária”, afirmou Mayara, que mora em São José de Imbassaí e cursa Engenharia Ambiental na Universidade Veiga de Almeida. “Foi muito bom ter feito o curso, me ajudou muito a escolher o que eu queria para me realizar profissionalmente”, lembrou Jessica, que é estudante de Arquitetura e Urbanismo das Faculdades Anhanguera e moradora do Flamengo.