Oficina contribui para atualização de enfermeiros sobre o pré-natal

0
607
Objetivo da oficina foi treinar e capacitar os enfermeiros da Atenção Básica, que estão nos postos de saúde e da Estratégia Saúde da Família (ESF)

A Secretaria Municipal Adjunta de Saúde, através do Programa de Atenção Integral à Saúde da Mulher, Criança e Adolescente (PAISMCA), realizou nesta quinta-feira (26/03), das 9h às 16h, a primeira oficina de pré-natal para os enfermeiros da Rede de Atenção Básica. O evento foi realizado no CIEP 259 – Professora Maria Amparo Rangel de Souza, no Centro de Maricá.

Segundo a coordenadora do PAISMCA, Maria Magdalena Kelly, o objetivo do evento foi treinar e capacitar os enfermeiros da Atenção Básica, o que inclui os profissionais dos postos de saúde e da Estratégia Saúde da Família (ESF) para a realização do pré-natal de baixo risco. Caso haja necessidade, a paciente é encaminhada para o pré-natal de alto risco, realizado no Posto Central. “Nossa intenção é capacitar os enfermeiros para que em todas as unidades tenhamos profissionais aptos para proporcionar um pré-natal de qualidade e humanizado, e sendo perto da casa da paciente é mais fácil a adesão”, afirmou a coordenadora.

Diversos assuntos foram tratados no decorrer da oficina, como a importância do pré-natal; o planejamento familiar; a doação do leite materno; e a consulta de pré-natal realizada pelo enfermeiro. “O Ministério da Saúde preconiza que seja realizada uma consulta alternada, um mês é feita pelo enfermeiro e outro mês pelo médico, conforme Decreto 94.406/87 e Portaria 2488/2011”.

Para a secretária municipal adjunta de Saúde, Fernanda Spitz, é importante que todas as gestantes façam o pré-natal o mais precocemente possível. “Estamos dando continuidade ao treinamento das ações propostas para qualificação da Atenção Básica. Essa iniciativa faz parte da Política Nacional de Atenção Básica e Humanização para melhorar a qualidade da assistência através da educação permanente em saúde. Após várias capacitações sobre pré-natal, estamos finalizando com uma oficina para alinharmos as atividades nas unidades básicas de saúde”, disse.

De acordo com a Lei de Exercício do profissional de enfermagem, decreto nº 94.406/87, o pré-natal pode e deve ser acompanhado integralmente pelo enfermeiro. É o que destaca a subsecretária de Atenção Básica, Claudia Souza. “Em caso de se verificar qualquer anormalidade durante a gestação, seja ela no exame físico ou através de exames complementares, haverá a participação do médico de alto risco, bem como de outras especialidades”.

A subsecretária comenta ainda que a intenção da capacitação para os enfermeiros é aumentar o número de gestantes com, no mínimo, seis consultas, o que é preconizado pelo Ministério da Saúde. “Pelos indicadores do SISPRENATAL, somente 9,43% das gestantes realizam essas seis consultas”, relatou Claudia.

Os enfermeiros das unidades básicas de saúde destacaram que a iniciativa foi muito positiva, pois contribui para quem sejam atualizados e, consequentemente, realizem um melhor atendimento. É o caso de Sabrina Pires, coordenadora do posto de Ponta Negra. “É de extrema importância que haja capacitações como esta para os enfermeiros da Estratégia Saúde da Família. É necessário que as gestantes tenham um acompanhamento pré-natal voltado à excelência”, afirmou Sabrina.

Para Juliana Marins, enfermeira da ESF Santa Paula, a oficina atualizou conhecimentos e esclareceu sobre o fluxo de atendimento em pré-natal e saúde da mulher. “Gostei muito da capacitação, pois isso melhora a qualidade, o acolhimento e o atendimento para as gestantes e familiares. Espero que tenham mais capacitações”, complementou Juliana.