Projeto “Reflorestando e Resgatando a Cidadania” reúne crianças e moradores em Santa Paula​

0
509
Atividade contou com palestras educativas sobre sustentabilidade, estandes explicativos sobre Maricá+Verde e dengue e distribuição de mudas

A Secretaria Municipal Adjunta do Meio Ambiente, em parceria com as secretarias adjuntas de Saúde e Educação, realizou na manhã desta quinta-feira (30/04) o projeto “Reflorestando e Resgatando a Cidadania de Santa Paula”, na Escola Municipal Osdevaldo Marins da Mata.
 
A atividade contou com palestras educativas sobre sustentabilidade, estandes explicativos sobre o programa Maricá+Verde e sobre a dengue (com informativos de prevenção e orientações), além da distribuição de 15 mudas de plantas da Mata Atlântica, proporcionando o primeiro contato dos alunos ao plantio, e de outras 30 para os moradores do bairro.
 
A diretora da unidade escolar, Aline Guimarães, salientou a importância do projeto para as crianças. “Estou emocionada de ver os alunos felizes com essa iniciativa. É de extrema importância para o futuro da nossa cidade que eles se preocupem desde pequenos com o futuro do nosso ecossistema”, disse.
 
O secretário municipal adjunto de Meio Ambiente, Guilherme Mota, citou a importância da participação da população para o êxito do projeto. “Nosso objetivo é estreitar o laço com a comunidade. Essas mudas que serão plantadas, a manutenção, a preservação e outros fatores ambientais precisam da atenção e do cuidado das pessoas. Sem a participação popular o projeto não consegue caminhar. Somente quem vive no local sabe o que realmente acontece”, disse.
 
O projeto “Reflorestando e Resgatando a Cidadania de Santa Paula” é uma das vertentes do programa Maricá+Verde e é um precursor de uma série de outros eventos de conscientização organizados pela Secretaria Municipal Adjunta de Meio Ambiente. O objetivo é englobar diversos bairros do município com foco na preservação do meio ambiente através de medidas educativas e plantio de árvores.
 
Maricá+Verde
 
O Maricá+Verde é um projeto de restauração de Áreas de Preservação Permanente (APP), como nascentes e cursos d’água, situados às margens de córregos e rios. O projeto completou um ano em março e obteve até abril 5.565 árvores plantadas nas APPs da cidade.