Encerramento de oficinas dos CRAS reúne mais de 250 formandos no CEU Maricá

0
670
Encerramento de oficinas dos CRAS reúne mais de 250 formandos no CEU Maricá

A secretaria municipal adjunta de Assistência Social realizou nesta terça-feira (19/05) o encerramento das oficinas de geração de renda oferecidas gratuitamente, de janeiro a maio, nas oito unidades do Centro de Assistência Social (CRAS) do município. Realizado no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) da Mumbuca, a cerimônia contou com a participação de 278 formandos dos cursos de Panificação, Manicure, Corte de Cabelo, Artesanato com MDF, Pintura em Tela e Pintura em Tecido, e Biscuit, além de professores e coordenadores do CRAS. O evento também contou com a apresentação de um número especial de dança do ventre e os trabalhos produzidos pelos alunos durante os cursos. 

Representando o secretário municipal adjunto de Assistência Social, Jorge Castor, a subsecretária da pasta, professora Laura Costa, agradeceu a participação dos envolvidos no projeto e falou sobre a importância destas oficinas para a população. “Essas oficinas têm o objetivo de preparar os alunos para se tornarem independentes e autônomos, de forma a utilizá-las como uma alternativa na geração de renda da família. O encerramento de um curso não deve significar um término, mas sim o início de uma nova jornada”, declarou. A subsecretária acrescentou ainda que há vagas abertas para novas turmas. “Os interessados devem procurar o CRAS mais próximo de suas casas e se inscrever. As turmas são formadas de acordo com o interesse dos alunos”, ressaltou.

Formandos e suas expectativas

Com 31 anos, Marcelo Souza Silva é formando do curso de Corte de Cabelo do CRAS do Jardim Atlântico. Há um ano, ele abriu uma barbearia e sentiu necessidade de aprimorar sua técnica. “Usava somente máquina por não ter confiança em fazer cortes com tesoura. Agora, com o curso faço cortes modernos”, declarou. Antes de abrir seu próprio negócio, Marcelo trabalhava como pedreiro. “Por mês, ganhava muito menos do que faturo hoje. Normalmente, o movimento é bom. Nos fins de semana chego a atender mais de 30 pessoas. Essa foi a melhor escolha que fiz na minha vida”, afirmou.

Para a aluna do curso de Panificação do CRAS da Região Oceânica, Lília Teixeira, de 47 anos, o curso foi tão produtivo que já se inscreveu nas oficinas de customização, dança do ventre e maquiagem. “Os cursos são muito interessantes. Me formei em algo que poderá ser mais uma fonte de renda, mas também ganhei amigos e isso foi muito importante na minha vida”, destacou a formanda que também inscreveu sua filha Laila Trindade, de 10 anos, nos cursos de teatro, capoeira e grafite.

Já a aluna do CRAS de Inoã, Ingrid Farias, de 23 anos, participou das oficinas de manicure, MDF, Biscuit e Corte de Cabelo e, antes de terminar o curso, já está trabalhando por conta própria como manicure. “O CRAS representa o início da minha vida profissional. Conquistei novas amizades e ganhei novos conhecimentos. Agradeço a Prefeitura por nos abrir essa pequena porta para que possamos trilhar um grande caminho”, afirmou a aluna. 

As oficinas tiveram carga horária, em média, de 30 a 40 horas, com encontros semanais. O objetivo foi de promover o fortalecimento de vínculo entre os moradores e familiares, além de dar oportunidade de formação à pessoa para produzir o que aprendeu e comercializar.

Há três anos à frente do CRAS Inoã, a coordenadora Micheli Carvalho ressaltou a importância da unidade para aproximar as pessoas. “As oficinas funcionam como porta de entrada para a formação do vínculo comunitário e de um convívio social integrado. Lá se formam cidadãos mais conscientes e responsáveis, mas, principalmente, pessoas mais felizes e com autoestima elevada”, afirmou a coordenadora, acrescentando que o CRAS Inoã atende mais de 2.400 famílias.

Professora de Artesanato com MDF, a designer de interiores Angelina Conceição Esteves também ressaltou a importância terapêutica das oficinas. “É um momento de interação em que os alunos aprendem se divertindo, trocam experiências de vida; na verdade, é uma grande família”, ressaltou a professora. 

Entenda o que é CRAS

O CRAS é uma unidade pública estatal descentralizada da Política Nacional de Assistência Social (PNAS). Atua como a principal porta de entrada do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), dada sua capilaridade nos territórios e é responsável pela organização e oferta de serviços da Proteção Social Básica nas áreas de vulnerabilidade e risco social. Além de ofertar serviços e ações de proteção social básica, o CRAS organiza e coordena a rede de serviços de inclusão e trabalha na perspectiva da prevenção para tentar minimizar as desigualdades sociais, fortalecendo o vínculo familiar e comunitário, facilitando o acesso livre dos direitos de cidadania para a população.

Em 2011, foi realizado 1.660 atendimentos no município; já em 2014, o número de atendimentos chegou a 17.727. Atualmente, existem oito CRAS no município de Maricá nos bairros Centro (Rua Domício da Gama, Lt.18/Qd.03); Inoã (Rua 5 Lote 1 Barra A2 Quadra 19  – Rua do CIEP), Itaipuaçu (Rua Professor Cardoso Menezes, Lote 37 Quadra 01 – antiga rua 1), Mumbuca (CEU – Rodovia Amaral Peixoto km 27,5), Jardim Atlântico (Rua Darcy Roque da Silveira Quadra 485, Lote.6, Casa 2 – antiga rua 89), Região Oceânica (Avenida Maysa Monjardim, Lote.05 Quadra195 – esquina com a rua 135), São José Marine (Rua Tinhoré, Lote 22 Quadra 2 – Km 22) e São José Central (Estrada Real de Maricá, s/nº, Lote 3).