“Samba di Buteco” completa três anos com show gratuito

0
433
Sambista comanda a festa de aniversário com chorinho e sucessos de Cartola, Nelson Cavaquinho e Candeia

Claudinho Guimarães comanda a festa no Centro, com o hino do projeto, sucessos, músicas do seu novo CD “De bem com a vida” e "O Samba na cozinha", feita pelo compositor e gravada por Zeca Pagodinho

O projeto “Samba di Buteco” completa três anos e quem ganha o presente é o público de Maricá. Neste domingo (21/06), o cantor Claudinho Guimarães, acompanhado do grupo Samba di Malandro, apresentará um repertório especial com sucessos de Cartola, Candeia e Nelson Cavaquinho; chorinho de “Brasileirinho” (Waldir Azevedo) e “Tico-tico no fubá” (Carmem Miranda); e novas composições na Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, no Centro. A festa, organizada pela Secretaria Municipal Adjunta de Turismo, é aberta ao público e começa às 17h.

A programação de aniversário inclui o hino do projeto, composto por Claudinho, que conta em versos, como no trecho “Pra vida inteira ser feliz em Maricá / Samba di Buteco é isso aí”, o sentimento de viver na cidade. O sambista também mostrará ao público as músicas “Seu Zé” e “Bem-te-vi” do seu novo CD “De bem com a vida”, além de “O samba na cozinha”, escrita em parceria com Serginho Meriti e Serginho Madureira e que recentemente foi gravada por Zeca Pagodinho. “Reunimos em todas as edições famílias inteiras para tocar os clássicos do samba de raiz, num ambiente tranquilo. Esse é o grande sucesso do projeto”, destaca o líder do “Samba de Buteco”.

Cantor e compositor, Claudinho é autor de sucessos ficaram marcados nas vozes de Zeca Pagodinho ("Quando a gira girou" e "Lá vai marola"), Alcione (“Mangueira é Mãe”), Diogo Nogueira (“Da Melhor Qualidade”), Dorina (“Soberana”), Beth Carvalho (“Verde e Rosa de Paixão”), entre outros. Realizado desde maio de 2012, a iniciativa municipal já reuniu convidados especiais, como Paulinho Mocidade, Zé Luis do Império e compositores do “Quintal do Zeca Pagodinho”, que criaram alguns dos sucessos da carreira do sambista, dentre eles, “Tá ruim mais tá bom”, “Poxa”, “Dona encrenca” e “Dona esponja”.