Saúde capacita equipes médicas em hipertensão e diabetes

0
424

A Secretaria Municipal Adjunta de Saúde, por meio do Programa de Hipertensão e Diabetes (Hiperdia) de Maricá realizou nesta quarta-feira, (02/09), a “Capacitação sobre hipertensão e diabetes”, voltada para médicos do Programa “Mais Médicos”, das unidades de Estratégia de Saúde da Família e das Unidades Básicas de Saúde do município. O evento aconteceu na Universidade Severino Sombra, em Maricá. O objetivo é sistematizar o manejo da hipertensão e do diabetes. “Nossa finalidade é a de fazer com que todos sigam uma conduta em uníssono dentro do protocolo de assistência a essas patologias e assim fortalecer o vínculo entre o usuário e o prescritor”, explica a Educadora em Diabetes e Coordenadora do Hiperdia, Silvana Maráu Waldheim. "A capacitação atende à solicitação do programa “Mais Médicos”, devido à necessidade de um alinhamento de conduta", complementou Silvana. 

Entre os ensinamentos transmitidos, a coordenadora destacou alguns dos cuidados necessários para o paciente diabético: não guardar, por exemplo, insulina na porta da geladeira e sim na prateleira superior à gaveta de legumes, pois isso manterá a temperatura ideal; se faltar luz, é possível guardar a insulina fora da geladeira até 30 dias. Neste caso, deve-se deixá-la sobre a pia, longe do fogão e de janelas com incidência de luz e de calor e mantida dentro da caixinha de papelão, pois a insulina não pode receber luz direta no frasco. A coordenadora destacou ainda os cuidados importantes nos episódios de hipoglicemia. “Quando o paciente tiver uma sensação de desmaio, de vista turva e de suor intenso, provavelmente a glicose dele estará muito baixa. Nesse caso, precisa fazer algumas atividades em casa", ensina. "Para começar, é preciso que avalie a própria glicemia. Se estiver em torno de 50 ou 60, que é muito baixa, pode tomar um copo pequeno de refrigerante tipo cola ou um copo de água misturada com duas colheres de açúcar. Depois de dez minutos", prossegue, "deve avaliar a glicemia de novo. Provavelmente já terá recuperado a glicose e caso isso não tenha acontecido, pode repetir o mesmo procedimento". Ainda de acordo com Silvana, se ainda assim o nível permanecer muito baixo, a pessoa deve procurar a emergência. 

A educadora chama a atenção para a importância do paciente diabético ter alguns cuidados com os pés, tais como observar se há vermelhidão; não fazer compressa de água quente; não remover cutícula; não passar nenhum tipo de gilete em calosidades ou fissuras; evitar o uso de chinelos de dedo devido à possibilidade de se cortar com algo e também pelo atrito das tiras e da borracha que pode causar calosidade e levar a outras complicações.

Subsecretária de Atenção Básica, Claudia Souza esclarece que os temas hipertensão e diabetes devem ser exaustivamente debatidos dentro da rede. “São doenças que mutilam, incapacitam e, muitas vezes, matam até precocemente nossos pacientes”. Esclarecer e atualizar os médicos na forma de diagnosticar, acompanhar e tratar as doenças, segundo ela, é fundamental. “Mais ainda, prevenir é o melhor caminho”, avalia Claudia.

Quem participou aprovou e tirou dúvidas. Andréia da Silva é brasileira e se formou em Cuba. A médica do programa Mais Médicos atua na Unidade de Saúde em Ubatiba. Para ela, participar foi uma oportunidade para aprendizagem e de ajudar a educar o paciente em relação aos assuntos tratados. “Muitas questões abordadas aqui realmente eu não sabia, como a da insulina. Aprendendo, a gente passa conhecimento aos pacientes”, avalia. Segundo o cubano Luis Manuel Reyes Castellano, a capacitação serviu como uma atualização. “Nós que trabalhamos na Atenção Básica, com a saúde primária, temos que evitar que o diabetes evolua para complicações futuras. Dessa forma, aprendemos a orientar mais nossos pacientes”, comentou o médico, que trabalha na unidade no bairro da Amizade. Quem também trabalha neste posto de saúde é o médico do programa Estratégia em Saúde da Família (ESF) Marcos Pires. Ele avalia o encontro positivamente. “Isso sempre valoriza e atualiza o profissional no sentido de nos aperfeiçoar para melhor atender o paciente”, declarou Marcos.“Através do programa Hiperdia estamos montando mais um treinamento sobre diabetes e hipertensão para os nossos médicos, a fim de que tenham maior capacidade de avaliar, controlar e promover a saúde desse grupo que é cada vez maior, considerando que a população está envelhecendo mais”, declarou Fernanda Spitz, Secretária Municipal Adjunta de Saúde.