Motoristas da Secretaria de Educação de Maricá recebem certificados de Transporte Escolar

0
770
Motoristas da Secretaria Municipal Adjunta de Educação de Maricá, receberam nesta quarta-feira (09/09), na sede da secretaria, certificados do curso de Transporte Escolar, emitidos pelo Serviço Social do Transporte e pelo Serviço Nacional de Transporte (Sest/Senat).  Segundo legislação da Confederação Nacional do Transporte (CNT), o curso, com 50 horas-aula, é obrigatório para quem trabalha com transporte escolar. Dos 32 condutores, 18 haviam já o haviam concluído. Os 14 restantes receberam seus certificados das mãos do secretário municipal adjunto de Educação, Marcos Ribeiro. 

Segundo o secretário de Educação, Marcos Ribeiro, a história da frota escolar de Maricá é de uma trajetória vitoriosa. De acordo com ele, ao assumir a secretaria em 2009 existiam na secretaria apenas três ônibus e algumas kombis agregadas, a maioria em estado precário. Maricá tem hoje 17 ônibus adaptados, seis kombis e uma van, que atende os alunos especiais do Serviço de Atendimento e Reabilitação Especial de Maricá (Sarem).

“Recebemos os ônibus através do projeto “Caminho da Escola”, implantado com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Escolar ((FNDE), e do Plano de Ações Articuladas (PAR), do Governo Federal. Toda a gestão de pessoal, é do município", explicou Marcos Ribeiro. "Só os nossos motoristas recebem um salário mensal de R$ 2.070. Fornecemos uniforme com um kit de cinco camisas polo de cores diferentes, uma para cada dia da semana. O projeto está atendendo as 53 escolas regularmente, e devemos este sucesso principalmente às ex-secretárias Marta Quinan e Adriana Luíza Costa, que o organizaram e desenvolveram”, completou.

Os motoristas foram admitidos em processos seletivos realizados pelo município. Os que ingressaram mais recentemente, começaram a trabalhar em fevereiro deste ano, iniciando o curso de capacitação no mesmo mês. “De agora em diante, os admitidos para o setor terão de apresentar certificado do Sest/Senat, juntamente com habilitação e outros documentos, para o exercício da função”, garantiu o superintendente do Transporte Escolar, Luís Rogério dos Santos. A superintendente Sharlene de Souza, adiantou que, além do curso de Transporte Escolar, os condutores farão também o curso de Primeiros Socorros,  e o curso de Libras, para se comunicarem com estudantes portadores de deficiência auditiva.

O motorista Wanderlei da Silva Jordão, 61 anos, entrou para a frota escolar em fevereiro deste ano. Wanderlei trabalha com alunos especiais de cinco escolas em Inoã e Itaipuaçu, e gosta muito do trabalho. “É um serviço que exige uma dedicação especial, e desenvolve uma maior atenção com o público, o que é bom para o trabalho e para o profissional”, concluiu.