Especialistas orientam sobre cuidados com ostomizados

0
582

A Secretaria Municipal Adjunta de Saúde, por meio do Programa Municipal de Atenção à Saúde da Pessoa Ostomizada realizou nesta terça-feira, (15/09), no Posto Central, palestra sobre cuidados e prevenção de complicações nas ostomias intestinais e urinárias para pacientes ostomizados. A intenção é orientar e esclarecer os recém ostomizados e familiares sobre a importância do autocuidado e da utilização correta de equipamentos coletores (bolsas) e adjuvantes  (pomadas, fitas, creme de barreira, luvas de procedimento e outros), enfatizando a prevenção de complicações. A palestrante convidada foi Elaine Oliveira, enfermeira estomaterapeuta. Dentre os ensinamentos transmitidos estão os primeiros cuidados com a ostomia. “A limpeza é primordial. A partir do momento em que uma irritação aparece na pele por uma coisa que poderia ter sido evitada, pode gerar um problema lá na frente. Quem é ostomizado precisa fazer a limpeza da pele no local sempre com água e sabão e nunca utilizar álcool, pois há uma mucosa sendo exposta. Nada que deixe a pele sensível se passa ali, pois já tem uma bolsa que pode ferir. É importante também saber qual o tipo de bolsa que o paciente pode usar. Queremos ajudar a prevenir os problemas de pele”, ensinou a enfermeira.

Quem compareceu fez perguntas e tirou dúvidas. É o caso de Cristiane Maria. Ela cuida de sua mãe, Mariza Santos. “Minha mãe está cadastrada aqui. Eu vim e a trouxe para participar, é muito importante. Mesmo sendo técnica de enfermagem, fui aprendendo com o dia a dia. Esses conhecimentos nos ajudam a tirar dúvidas e assim posso cuidar melhor”, disse Cristiane. Mariza está no programa há cinco meses e estava contente em participar do encontro. “Assim como minha filha tem dúvidas, eu também tenho. Sou uma pessoa independente e dessa forma posso dar certo descanso para ela, que é meu anjo da guarda e tem muitos afazeres. Por isso estou aqui com muito prazer, pois quero aprender”, declarou emocionada.

 Coordenadora do Programa, a enfermeira Elaine Souza explica o funcionamento do serviço. “Pessoa ostomizada é aquela que em decorrência de um procedimento cirúrgico, que consiste na exteriorização do sistema (digestório, respiratório ou urinário) possui um estoma, ou seja, uma abertura artificial entre os órgãos internos com o meio externo, na parede abdominal. Em nosso serviço atendemos prioritariamente aos do sistema digestório e urinário (colostomias, ileostomias e urostomias). Somos uma equipe de nível 1, ou seja, temos um enfermeiro, um assistente social e um médico clínico.  É importante destacar que antes os usuários precisavam ir a Itaboraí para retirar material. Agora temos nosso polo aqui em Maricá”, lembrou a Coordenadora. 

No programa, o paciente é acolhido, cadastrado e passa por consulta de enfermagem e pelo atendimento com assistente social. Se necessário, é encaminhado ao médico clínico geral e para outros especialistas do município. A enfermeira também faz questão de observar o paciente a fim de saber se ele está se adaptando ao material, se precisa trocar a bolsa e se a pele está sadia.  “Caso ele não esteja bem com uma bolsa, a gente faz a troca”, disse. A partir do momento em que o usuário é cadastrado é marcada uma data mensal para dispensação das bolsas e adjuvantes. Assistente social do programa, Lúcia Viana acompanha a composição familiar, orienta, faz visitas domiciliares e cuida da questão de documentação. “É interessante ir às casas e observar como estão os pacientes e ainda orientar quanto aos cuidados da família que assiste o paciente. Se não tem documentos, levo e ajudo a resolver isso”, complementou.

“É um grande prazer trazer aos nossos pacientes ostomizados um pouco mais de prática de profissionais que lidam com essa situação especial, transitória ou não, no intuito de tirar dúvidas, ensinar, falar de suas experiências e dar a eles a certeza que de fato estão sendo vistos e acolhidos pela rede de saúde do município”, afirmou Claudia Souza, Subsecretária de Atenção Básica.

O Programa Municipal de Atenção à Saúde da Pessoa Ostomizada funciona no Posto Central, às terças-feiras, das 8 ao meio dia e às quintas-feiras, das 8h às 17h.