Clássico da ficção científica, "Blade Runner" é o próximo longa no Cineclube Henfil

0
204
"Blade Runner, o caçador de andróides", com Harrison Ford, será exibido nesta quarta, às 19h, na Casa Digital

Um dos filmes mais emblemáticos  já lançados, o longa "Blade Runner, o caçador de andróides" é a atração desta quarta-feira (23/09) no Cineclube Henfil, projeto da Secretaria Municipal Adjunta de Cultura. O filme, produzido em 1982 e dirigido por Ridley Scott, foi ignorado por público e crítica à época, mas renasceria anos depois como um espetáculo de estética visual – especialmente pela apropriação de uma linguagem cinematográfica muito utilizada na publicidade especialmente nos planos e na iluminação – que segue como um referencial ainda hoje. A sessão é gratuita e acontece às 19h na Casa Digital, no Centro. 

Baseada em um livro do escritor Philip K. Dick, a trama se passa no início do século XXI, quando a corporação Tyrell desenvolve um tipo de robô mais forte e ágil que o ser humano e que se equipara a ele em inteligência. São os replicantes, utilizados como escravos na colonização e exploração de outros planetas. Mas, quando um grupo desses robôs evoluídos provoca um motim, em uma colônia fora da Terra, este incidente faz os replicantes rebeldes serem considerados ilegais, sob pena de morte. A partir de então, policiais de um esquadrão de elite, conhecidos como Blade Runners, têm ordem de atirar para matar todos que encontrem. Na sombria e desanimadora Los Angeles de 2019, cinco desses dissidentes são caçados por Rick Deckard (Harrison Ford) um ex-Blade Runner chamado de volta para o trabalho.

O filme, que ganhou uma versão completa reeditada pelo próprio Ridley Scott, em 2007 – como resposta aos cortes e acréscimos feitos por produtores na época do lançamento inicial, como o "happy end" não autorizado pelo diretor – traz ainda Daryl Hannah e Rutger Hauer (esse impressionante como o líder replicante) em destaque e revelou a bela Sean Young, cujo personagem atrai o protagonista Deckard. A trilha sonora também se tornou um clássico de ambientação, com o tom minimalista e melancólico dado pelo tecladista e compositor Vangelis.

Há previsão de uma continuação do filme sendo produzida a partir do ano que vem. De acordo com infirmações que vazaram na imprensa especializada, o segundo filme gira em torno do mistério sobre o próprio Rick Deckard, de quem não se sabe se é humano ou replicante.