Assuntos Religiosos divulga programação da Festa de Nossa Senhora das Graças

0
488

Começam nesta quarta-feira (18/11), às 19h30, com a novena ao Santíssimo Sacramento, as comemorações em Louvor a Nossa Senhora das Graças, no bairro de Ponta Negra. A festividade tem o apoio da Prefeitura de Maricá, através das secretarias municipais adjuntas de Assuntos Religiosos e de Turismo. No dia 26/11, com o fim das novenas, acontece a coroação de Nossa Senhora. No dia seguinte, às 6h, os fiéis participam da alvorada e em seguida de um café da manhã. No início da noite será realizada a procissão em louvor à santa a partir das 19h, e em seguida a missa. 

No mesmo dia, na praça central de Ponta Negra, em frente à igreja, acontece a partir das 21h, uma roda de samba como parte do projeto "Sob o Céu, Sob o Sol de Maricá", com Gianne Mello, Raphael do Cavaco, Leandro Junnhyor, Gustavo Canedo, Glaubinho TK e Naldo. A dupla Douglas e Kleberson fecha a programação da noite. No dia 28/11, às 12h, os devotos participam de um almoço onde os recursos arrecadados serão destinados às obras sociais da capela, e às 19h acontece a Celebração da Palavra. A partir das 20h30, também na praça de Ponta Negra, Ed Baiano abre a programação do projeto "Sob o Céu, Sob o Sol de Maricá". Em seguida, Rafael Caçula e a Banda Suracutiar assumem os microfones e encerram as festividades.

Segundo a fé católica, Nossa Senhora das Graças é uma invocação especial da Virgem Maria e também possui as denominações Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças e Nossa Senhora da Medalha Milagrosa. A devoção remete à aparição de Nossa Senhora no dia 27 de novembro de 1830, às 17h30, em Paris, para uma das Irmãs da Caridade de São Vicente de Paulo, a humilde noviça Santa Catarina Labouré. Ao fazer suas orações na capela do convento, a Virgem Maria apareceu e lhe revelou a Medalha Milagrosa de Nossa Senhora das Graças, símbolo do amor de Deus pelos homens, manifestado através da Virgem Maria.

A capela de Nossa Senhora das Graças possui o curioso formato de um avião. A explicação estaria na devoção do Capitão Dr. José Caetano de Oliveira, que ao sobrevoar o centro de Ponta Negra, a aeronave em que estava sofreu uma pane. Desesperado, ele prometeu, caso sobrevivesse, construir uma capela em homenagem à santa. A igreja foi construída em 1966 no mesmo local onde caiu o avião.