Criador do conceito de ‘escola democrática’, professor israelense vem a Maricá mostrar metodologia

0
665

Uma nova proposta de modelo educacional que Maricá pode implantar nos próximos anos foi apresentada na noite desta terça-feira (08/12), durante uma palestra no C.E.M. Joana Benedicta Rangel, no Centro. O método foi criado pelo professor israelense Yaacov Hecht e batizado de “Educação Democrática”, que consiste em explorar as potencialidades dos alunos saindo do ambiente escolar tradicional. O professor veio a Maricá mostrar sua metodologia acompanhado do também professor Davi Calderoni, pós-doutorado em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP) e que irá coordenar a implantação no município de um novo projeto, também no setor de ensino, a partir do ano que vem. 

Yaacov Hecht contou que atua no setor há 42 anos e que tudo começou quando ele tinha 16, quando ele deixou a escola onde estudava por não entender sua conexão com a vida real. “Lá nos ensinam a ficar sete horas dentro de uma sala por doze anos sem nos mover, só isso, sob pena de punição. Decidi que iria criar uma nova escola para crianças como eu, que não se encaixavam”, relatou ele, sempre se referindo à escola tradicional como “a caixinha”.

Para o professor israelense, toda pessoa é muito boa em alguma atividade, mas a escola atual tem recursos limitados, o que inclui poucos professores. “Pelo nosso conceito, a cidade se transforma numa grande escola democrática e os desafios que ela impõe podem ser muito motivadores. O que temos de fazer é encontrar o que existe de singular e único em cada criança, daí teremos uma nova sociedade e até uma nova economia”, afirmou Hecht, que sugeriu até a modificação da sirene que marca os horários da escola – e que tocou durante a palestra – por um tema musical. “No passado, esse era o alarme das bombas durante as guerras. É assustador, parece um alerta para entrar em um ‘bunker’”, comparou.

Como exemplo sobre a eficiência do método, que já foi implementado em 45 países, Yaacov Hecht contou a história de um aluno que, levado pela mãe a uma das unidades em Israel, não parecia ter qualquer potencial aparente. “Perguntei o que ele gostava de fazer e respondeu velejar. Então eu disse que deveria aprender sobre tudo que envolve o mar, o clima e outras disciplinas que envolvem o esporte. Ele aprendeu, cresceu e se tornou medalhista olímpico na modalidade anos depois, e revelou o incentivo que teve da nossa parte”, descreveu o professor.

No fim da palestra, Davi Calderoni sinalizou que Maricá poderá adotar o conceito de escola democrática nos futuros centros de educação pública transformadora, idealizados pelo prefeito Washington Quaquá. “Em breve teremos uma educação nesta cidade baseada nesta concepção”, projetou. Impressionado com a explanação do israelense, o secretário municipal adjunto de Educação, Daniel Neto, afirmou que quer promover outra palestra com Yaacov Hecht, agora para um grande público. “Para mim, todos que estão aqui vivem um momento histórico. Hoje tive contato com uma nova realidade na educação e queria que mais gente pudesse ver”, avaliou, ao lado do secretário municipal executivo de Políticas Sociais, Alexandre Rodrigues.