Motoristas da frota escolar recebem certificado do curso de Libras

0
388

Quinze motoristas da equipe de 28 profissionais da frota escolar da Secretaria Municipal Adjunta de Educação de Maricá receberam nesta quarta-feira (16/12), na E.M. Especial Rynalda Rodrigues da Silva, no Flamengo, seus certificados do curso da Linguagem Brasileira de Sinais (Libras), formando a primeira turma de condutores escolares do município qualificados nesse tipo de atendimento.

O curso, realizado na Casa Digital, no período de 16/09 a 16/12, constou de 20 horas-aula ministradas no horário das 14h às 16h (intervalo entre a entrada e saída dos alunos do turno da tarde), ministrado pela professora em Libras Eliza Teles, deficiente auditiva com formação no Instituto Nacional de Surdos (INES). O evento, apresentado pela coordenadora de Surdez, Flaviane Mello, e pela supervisora Isabela Ramos, da Subsecretaria de Educação Inclusiva, contou com a participação da intérprete em Libras, Juliana Guilherme, da rede municipal de ensino.

No curso, a comunicação com os alunos é feita através de gestual e leitura labial, com apoio de um intérprete. “A lei federal 10.436, de 24/04/2002, reconhece a Linguagem Brasileira de Sinais (Libras), apenas como linguagem gestual, uma ferramenta para a aprendizagem da língua portuguesa, onde é exigida a complementação da escrita. Em 2013, professores da rede municipal de ensino se qualificaram em Libras, para trabalhar com Educação Inclusiva”, disse Flaviane Mello.

O secretário municipal adjunto de Educação, Daniel Alves Neto, observou que Maricá está à frente de muitos municípios do Estado do Rio, e até do país, em  Educação Inclusiva. “O município tem atendido com eficiência às demandas do ensino inclusivo, cumprindo programas e metas, e realizando projetos pedagógicos que ampliam o leque da inclusão, possibilitando uma maior participação e realização do aluno como pessoa e cidadão. Somos referência nacional no setor”, afirmou.

Ao receberem seus certificados, os motoristas soletraram seus nomes em Libras e agradeceram o apoio recebido. Gilberto Pimentel Correa, 59 anos, morador de Araçatiba, falou em nome dos colegas e deu depoimento de como o curso o ajudou. “Estava substituindo um colega motorista, e fui buscar um aluno deficiente auditivo em Itaipuaçu. Como não me conhecia, ele não quis embarcar no carro. Foi preciso uma vizinha convencê-lo, pois eu não sabia como falar com ele. Agora, já sei o básico para me comunicar por sinais”, disse. 

O supervisor do Transporte Escolar municipal, Roger Santos, adiantou que a frota consta de 28 veículos, sendo 16 ônibus, seis kombis, uma van para cadeirante, e seis veículos menores, que operam nos horários de 6h às 8h; 11h30 às 14h; e às 16h. “Trabalhar de segunda à sexta, começando às seis horas da manhã, e estudar no intervalo dos horários de trabalho, visando uma melhor qualificação profissional, é para quem tem força de vontade. O mérito é todo deles. A próxima turma, em 2016, contemplará os motoristas que não puderam estudar agora, devido ao revezamento no trabalho”, finalizou.