Pólo do Senai de Itaipuaçu terá novos cursos do Pronatec em 2016

0
1749

Dois cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), que são ministrados no pólo de Itaipuaçu através do Serviço Nacional da Indústria (Senai), contratado pela Prefeitura, chegam ao final nesta sexta-feira (18/12) com bons resultados. Os cerca de 20 alunos que se qualificaram como operadores e montadores de computador, que devem estar diplomados em janeiro, já começam a ocupar postos de trabalho disputados ou buscam sua autonomia profissional, algo que deixou orgulhosa a equipe da Secretaria Adjunta de Trabalho de Maricá, que mediou as vagas para os jovens da cidade.

Nesta quarta-feira (16/12), o secretário Marcelo Carvalho visitou as turmas reunidas na hora da aula para dar parabéns a todos pelo empenho. Ele também anunciou que haverá novos cursos no pólo em 2016. “Ainda estamos formalizando um novo contrato, mas podemos adiantar que entre os cursos estão Logística e Administração. Também vamos levar cursos para os moradores do ‘Minha Casa, Minha Vida’ aqui de Itaipuaçu”, revelou.

Um dos destaques foi Beatriz Alves, de 23 anos. Mesmo morando em Ponta Negra, ela sai do lado oposto da cidade para frequentar as aulas de operador de computador, mas seu esforço foi recompensado. “Fui buscar uma vaga de emprego no Rio e, quando contei que fazia um curso do Senai, os avaliadores se entreolharam como se dissessem: ‘É essa!’. E eu acabei ficando com a vaga”, orgulha-se ela. Outro morador de Ponta Negra da mesma turma espera obter também o mesmo sucesso. “Esse curso terá um peso a mais na hora de disputar um bom emprego. Está valendo muito a pena”, avalia Wallace da Silva Pereira, de 23 anos.

Para alguns dos alunos, o curso serviu também para reciclar seus conhecimentos. “Tinha feito outro curso de informática há muitos anos e aqui me atualizei. Tomara que agora eu consiga me colocar”, acredita Michele Sobrinho, de 34 anos, que mora em Itaipuaçu e atualmente está desempregada. 

O mais surpreendente, porém, é a presença de duas alunas que são freiras franciscanas e vivem na comunidade Toca de Assis, próxima ao Recanto. “O curso nos ajuda a cuidar da parte administrativa de nossa casa, mas também foi bom para as poucas relações interpessoais que temos devido às restrições que nossa vida impõe”, revela a cearense Sara Barbosa, conhecida na comunidade como ‘irmã Pacífica’. Ela conta ainda que souberam do curso através de outra freira que vive com elas, que passou em frente ao pólo e viu o anúncio. “Outras irmãs já se interessaram depois que fizemos”, adiantou Sara. 

Entre os que fizeram o curso de montador, a aluna Fransuelly Castro diz que pretende investir na parte de hardware. “Já mexia com peças de computadores antes, por curiosidade, mas agora quero me profissionalizar nisso”, disse ela, que tem 17 anos e mora em São José de Imbassaí. Ao seu lado, o colega Pedro Vinícius Freitas, de 16, também quer seguir o mesmo caminho. “Tinha muita vontade de aprender a montar e também quero fazer isso agora como profissão”, projeta ele, que é de Itaipuaçu. O professor Marcelo Rocha Monsores fez elogiou à turma. “A turma é bastante aplicada e as aulas renderam bem”, afirmou.