Maricá reforça política de Transporte Gratuito e não reajusta tarifa municipal

0
1768
Dois milhões de passageiros já viajaram pela cidade nos ônibus gratuitos da EPT desde 2013

Ao contrário do Estado e de outros municípios, onde as tarifas de transporte público sofreram forte reajuste no início do ano, em Maricá a Prefeitura agiu para preservar o poder de compra da população em um ambiente de crise. Além de não autorizar qualquer reajuste nos preços do transporte municipal praticados pelas concessionárias que monopolizam o serviço há décadas, está reforçando o sistema de Tarifa Zero com a incorporação próxima de dez novos micro-ônibus à frota de 13 veículos que já roda desde dezembro de 2013 na cidade.

Os números alcançados pela Empresa Pública de Transportes nesse período, sem contar com o acréscimo da frota, mostram que a opção pela Tarifa Zero como programa de governo se mostrou viável e representou uma economia considerável no bolso dos usuários do sistema no município – cuja população tem renda concentrada entre um e três salários mínimos em média.  “Já transportamos dois milhões de passageiros desde o lançamento da empresa”, informa o presidente da EPT, Flavio Cid, referindo-se ao número fechado no fim de dezembro, apenas dois anos após o início das operações. “Foram 17.500 viagens e se formos calcular a quantidade de pessoas com a tarifa municipal de R$ 2,70 veremos que essa população pobre economizou R$ 5,4 milhões nesse período”, acrescenta.

Para uma área total de 362 km² como é a do município de Maricá, o transporte é um item essencial na conta de todas as famílias. Por essa característica, somada ao monopólio que obriga moradores e visitantes e usarem apenas uma empresa intermunicipal, chega-se à lógica perversa mantida em Maricá pelas concessionárias a partir de contratos antigos nos quais o interesse da coletividade vem em último lugar. “Infelizmente é o interesse dos empresários que manda na decisão de alguns governantes”, confirma o prefeito Washington Quaquá, que em sete anos de mandato só reajustou duas vezes a tarifa e, assim mesmo, por imposição judicial. A implantação do transporte público gratuito representa, para ele, o resgate do direito básico à mobilidade. “Tarifa Zero e vermelhinhos neles”, acrescenta, referindo-se ao reajuste autorizado pelo governo do estado para as tarifas intermunicipais, de 10,48%.