Comandante do 12º BPM visita prédio onde vai funcionar GGIM de Maricá

0
511

O prédio onde vai funcionar a sede do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM) e a sede da Secretaria Municipal Adjunta de Segurança Pública, no Centro, recebeu nesta terça-feira (19/01) a visita do coronel Fernando Salema, comandante do 12º BPM (Niterói), responsável pelo policiamento em Maricá. O oficial conheceu as instalações que estão em fase final de acabamento, recebendo os equipamentos de monitoramento das ruas e entradas da cidade. A previsão é que o batalhão possa utilizar as imagens geradas pelas câmeras já no Carnaval.

 Acompanhado de representantes da 4ª Companhia da PM (que policia a cidade) e do batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), o coronel Salema elogiou as instalações e disse que é um pioneirismo do governo municipal. “É uma estrutura maravilhosa, que vai poder acolher os órgãos de segurança com todo conforto”, exaltou. “A imagem hoje em dia é tudo no combate ao crime nas ruas, e o agente de segurança deve ser um excelente observador e ter agilidade para evitar que aquela pequena ocorrência venha a se tornar um mal maior. Tenho certeza que o local vai proporcionar toda condição necessária para isso”, avaliou o comandante.

 Ao lado dele, o secretário adjunto de Segurança Pública, Fabrício Bittencourt, garantiu que o espaço estará funcionando até o Carnaval por determinação do prefeito Washington Quaquá. “Nosso prefeito quer que tudo funcione e estejamos vigiando as ruas durante a folia. Estamos aguardando apenas a chegada do mobiliário, instalação dos aparelhos de ar condicionado para ocuparmos o prédio. Creio que isso correrá nos próximos dias” acredita Fabrício.

 Salema falou também sobre os índices de criminalidade em Maricá que, segundo ele, estão dentro de níveis que considera aceitáveis. “O principal problema da cidade são os roubos de veículos e a transeuntes, mas tenho relatórios que apontam queda nos números pelo quinto mês consecutivo. Conseguimos reduzir em 29% os roubos a pedestres, em 42% os de veículos e em 60% os homicídios. Não tenho dúvidas que este novo centro de monitoramento vai nos ajudar a reduzir ainda mais esses indicadores”, afirmou o oficial, reiterando que Maricá está dentro da chamada ‘meta verde’ da criminalidade.