INEA ainda avalia abertura de canal na Barra de Maricá

0
953

A possível abertura do canal da Barra de Maricá pode ser definida até esta terça-feira (26/01). A informação é do superintendente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) para a região da Baía de Guanabara, Paulo Cunha, que visitou a cidade pela segunda vez nesta segunda-feira (25/01), acompanhado por técnicos do órgão. A inspeção foi acompanhada pelos secretários municipais adjuntos Guilherme Mota (Meio Ambiente) e Marcos Câmara (Obras).

Segundo o superintendente, dois pedidos estão sendo analisados: uma para a movimentação de areia na orla da Barra e outro para a abertura propriamente dita, numa operação que teria duração de quatro dias. Paralelamente, outra equipe do Inea recolheu amostras das águas do mar e da lagoa para avaliar a salinidade, a temperatura e o pH. A coleta também é parte da análise sobre a abertura do canal. A equipe visitou também outros locais onde houve alagamentos causados pelos dias seguidos de chuva, como o Canal da Cidade, entre Araçatiba e o Boqueirão. Pela legislação, cabe ao instituto decidir se o canal construído sob a nova ponte da Barra – já para esse fim – poderá ter sua extensão aberta até o mar. “Essa foi a nossa terceira visita a Maricá desde que fomos alertados das cheias ocorridas aqui e da demanda da população. No entanto, trata-se de algo bastante complexo e que precisar ser feito com cautela e dentro do que é considerado seguro e responsável. O importante é que o órgão está presente e atento ao que a cidade precisa”, disse Paulo Cunha. Ainda segundo o superintendente, a abertura, se ocorrer, será temporária. 

O secretário municipal adjunto de Obras, Marcos Câmara, afirmou que todo maquinário municipal necessário para as duas operações já está disponível e vai aguardar somente uma eventual autorização para iniciar o trabalho. “O nível da lagoa subiu cerca de 40 centímetros em quatro dias, o que ofereceu um risco real a quem mora no entorno da lagoa”, ponderou ele, apesar da melhoria das condições climáticas. Já Guilherme Mota acredita que o Inea vai sinalizar positivamente no sentido da abertura do canal. “Creio que a chance disso ocorrer seja grande. Nós vamos seguir intermediando essa e outras demandas da população com os órgãos estaduais”, disse.