Imagem de funcionário no trator dragando rio em Itaipuaçu
Dois córregos que passam um de cada lado do conjunto de apartamentos estão sendo dragados - Foto: Fernando Silva

Começou antes do previsto o trabalho de limpeza de rios, córregos e canais visando prevenir possíveis enchentes durante as chuvas de verão, que inicialmente começaria em novembro. A primeira área beneficiada foi a mais atingida pela tromba d’água que alagou diferentes pontos de Maricá no dia 29 de fevereiro, que é o entorno do residencial Carlos Marighella, condomínio do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ em Itaipuaçu. Dois córregos que passam um de cada lado do conjunto de apartamentos estão sendo dragados desde a última segunda-feira (24/10).

O trabalho começou no ponto onde os dois cursos formam um delta e se encontram para desaguar no rio Bambu, que segue até o Canal da Costa, já no Jardim Atlântico. Desse delta, uma retroescavadeira está retirando o acúmulo de barro e vegetação do leito e das margens de um dos córregos, conhecido como Taquaral. Uma segunda máquina deve começar a fazer o mesmo procedimento no outro córrego, que passa junto à portaria do Residencial Carlos Marighella. Dentro do possível em cada leito, a meta é manter todas as áreas dragadas com cerca de 2 metros de profundidade e 4 metros de largura entre as margens.

Outra providência que vem sendo estudada pela equipe da Secretaria Adjunta de Obras é a retirada do que sobrou de estrutura da antiga ponte que compõe a Estrada dos Cajueiros, próximo à E.M. Oswaldo Rodrigues. De acordo com o órgão a laje e a parede que continuam de pé dificulta a passagem do curso d’água e retém uma enorme quantidade de sujeira. A equipe avalia qual a melhor forma de demolir as peças de concreto.

Na semana passada, o secretário executivo de Infraestrutura, Marcos Câmara, já havia dito que existe um monitoramento permanente da região onde fica o ‘Minha Casa, Minha Vida’ de Itaipuaçu. Segundo Câmara, a localidade recebe atenção especial nos dias de chuva para observar se as providências tomadas na época surtiram o efeito desejado e garantiu que não houve novos problemas por lá. No entanto, há uma equipe de prontidão para atender a comunidade em caso de emergência.

A limpeza de rios, córregos e lagoas em todo o estado do Rio é de responsabilidade do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), que concedeu neste mês uma nova licença para que a Prefeitura execute a manutenção – a primeira havia sido concedida em março em razão das enchentes.

Galerias – Além deste trabalho, a Secretaria Executiva de Infraestrutura iniciou também na semana passada a limpeza preventiva de galerias pluviais em toda a cidade. A ideia é manter desobstruídas as caixas de passagem subterrâneas de água das chuvas para evitar enchentes durante o verão, quando as precipitações são mais intensas. A primeira região beneficiada foi o Centro, onde equipes limparam as galerias da Rua Domício da Gama, desde a altura do Hospital Conde Modesto Leal  até a ponte da Mumbuca. O grupo de trabalhadores passou também pela área do terminal rodoviário.

Este conteúdo é protegido.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here