Projeto de Turismo Comunitário foi apresentado nesta sexta-feira aos secretários - Foto: Michel Monteiro

O projeto de Turismo Comunitário, elaborado pela prefeitura em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UniRio) e a Superintendência Regional do Trabalho no Estado do Rio, foi apresentado na manhã desta sexta-feira (31/03), às demais secretarias envolvidas na execução do projeto. No dia 21/03, a Secretaria de Economia Solidária de Maricá assinou um Termo de Cooperação com a Escola de Turismo da instituição para desenvolver a promoção do turismo de base no município, com foco em Economia Solidária. O ponto principal é destacar os atrativos naturais e fomentar a culinária, o turismo das aldeias indígenas, a agricultura familiar, o artesanato e a pesca artesanal de forma sustentável.

De acordo com coordenadora do projeto, Bruna Conti, a ideia é colocar em prática o turismo de base comunitária como alternativa ao convencional. “O objetivo é desenvolver esse projeto de fomento a um turismo mais solidário com capacitação dos servidores das secretarias envolvidas”, afirmou ela. “É também a capacitação dos empreendimentos que trabalham com o turismo para o foco no comunitário e como pode ser desenvolvido de forma a fomentar o desenvolvimento econômico e, por fim, a identificação dos atrativos e a criação de um roteiro de turismo”, completou.

O secretário de Economia Solidária, André Braga, avalia que projeto poderá potencializar o turismo já existente na cidade. “Apresentamos para o conjunto de secretarias e autarquias são coirmãs nesta proposta”, disse. “O próximo passo é fazer as visitas nos pontos de turismo de base já existentes para que possamos construir um cronograma efetivo de ações”, acrescentou. “A partir daí, cadastraremos as atividades e empregaremos o projeto para potencializar esse turismo através da assessoria que forneceremos com foco no desenvolvimento em economia solidária”, completa.

“Queremos conectar o turismo de base ao modelo do turismo tradicional. Assim será a atuação da Codemar para conectar esses projetos e vincular um pouco desse viés solidário à economia formal do município”, afirma José Orlando, presidente da Companhia de Desenvolvimento de Maricá. A capacitação dos trabalhadores passa pelo Ministério do Trabalho e Emprego, através da Superintendência Regional do Trabalho no Estado do Rio (SRTE). Diogo Antunes, chefe de seção de Economia Solidária da SRTE, afirma que o objetivo é organizar o trabalho associado feito e organizado pelos próprios trabalhadores, onde não há separação entre patrões e empregados. “É um trabalho associativista, cooperativista que a gente chama de Economia Solidária. O nosso papel em Maricá é assessorar de forma a incentivar que o turismo seja feito pela própria comunidade, que os frutos sejam apreciados e utilizados em prol da comunidade”, completa.

A organização do turismo feito pela própria comunidade garante que os recursos gerados permaneçam na cidade e sejam distribuídos entre a própria população como forma de desenvolvimento mais inclusiva. “Essa parceria com a Economia Solidária é importante. Nossa preocupação é com o turismo local e com as pessoas”, revela Karla Costa, representante da Secretaria de Turismo.

Após a apresentação aos secretários Júlio Carolino (Agricultura, Pecuária e Pesca), Robson Dutra (Turismo), Adriana Silva (Educação), Leonardo Oliveira Alves (Planejamento, Orçamento e Gestão) e José Orlando (presidente da Codemar), um grupo de trabalho foi formado entre os servidores das secretarias para traçar o cronograma das atividades. Pela tarde, os representantes da UniRio visitaram pontos turísticos do distrito de Itaipuaçu.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here